16/03/2012 15h23 – Atualizado em 16/03/2012 15h23

Ações de prevenção estão inseridas no combate a dengue e a leishmaniose

No ano de 2011 3 pessoas morrem com a doença, no ano de 2012 três pessoas já contraiu leishmaniose

Adriano Vialle

Além da dengue outra doença que tem preocupado a população três-lagoense é a Leishmaniose. No ano de 2011 foram 9 casos positivos, do tipo visceral que ataca o fígado, o baço e a medula óssea e 1 tegumentar que atinge a pele e mucosa, aparecendo feridas na pele, em alguns casos destrói a cartilagem do nariz e o interior da boca e garganta. A doença transmitida pelo mosquito Phlebotomus, levou três pessoas a óbito no ano passado. Em 2012 já são 3 casos confirmados.

Segundo dados da Secretária da Saúde do município os casos registrados esse ano foram em uma criança de dois anos, que mora no Jardim Planalto, no bairro Vila Verde uma mulher de 40 anos e uma outra criança de nove anos que mora no Santos Dummont.

De acordo com o Instrutor em Saúde Waldir José de Souza, a administração municipal esta realizando um trabalho educativo nas áreas já identificadas, por meio do “Saúde na Comunidade”, colocando em pontos estratégicos várias caçambas nos bairros que é percorrido o programa. “É um trabalho minucioso, orientamos o modo educativo e aconselhamos a jogar entulhos nas caçambas colocadas em pontos estratégicos que possa coibir o mosquito transmissor da leishmaniose e identificamos o cachorro que está doente e levamos para o centro de zoonose”, informou.

Walmir pede atenção para os sintomas. “Nem sempre a pessoa apresenta todos os sintomas, eles estão presentes em casos mais avançados. Em nossa cidade, área endêmica o paciente apresente anemia, febre ou mal-estar”, disse.

CACHORROS

O cão infectado serve de reservatório para o parasita (Leishmania) e acaba contaminando o mosquito que pode infectar o homem. A maioria dos cães infectados pode não ter aspecto de doente, mais o parasita serve de reservatório.

EVITANDO O MOSQUITO TRANSMISSOR

Manter casa e quintal limpos, lixo embalado, terrenos baldios limpos, canil sempre limpo e seco, cuidar de animais (cães e gatos), evitar amontoar folhas e materias orgânicos, pois eles servem para proliferação do mosquito.

SINTOMAS DA LEISHMANIOSE

-Febre prolongada – Úlceras escuras na pele – Aumento do baço – Aumento do fígado – Leucopenia – Anemia – Hipergamaglobulinemia – Tosse – Dor abdominal – Diarréia – Perda de peso – Caquexia.

SINTOMAS NO CACHORRO

-Emagrecimento – Queda de pelos – Muita tristeza – Unhas Grandes – Conjuntivite- Feridas nas orelhas, cauda e focinho.

Walmir conclui que a comunidade deve ajudar para evitar a proliferação do mosquito. A população deve limpar o quintal, dos terrenos, para eliminar a transmissão da doença.

O mosquito Phlebotomus é o transmissor da doença
Foto: Divulgação

Comentários