08/04/2015 13h49 – Atualizado em 08/04/2015 13h49

Saúde continua trabalho para diminuir casos de dengue em Três Lagoas

Equipes têm realizado diversas ações nas residências do Município a fim de orientar a população contra os riscos da proliferação do mosquito

Assessoria

O trabalho para diminuir a incidência de infestação do mosquito da Dengue no Município de Três Lagoas não para. A Prefeitura através da Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Setor de Combate às Endemias, tem realizado constantemente o trabalho de alerta para população não deixar água parada, evitando assim, a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue e da febre Chikungunya.

Segundo o coordenador de Educação em Saúde, Fernando Garcia Brito, a equipe realiza o trabalho diário de visita domiciliar com orientação e verificação de possíveis criadouros do mosquito. Além disso, dependendo da situação da residência é realizado o manejo mecânico, com a remoção dos criadouros que são encaminhados para o aterro sanitário. “Nós chamamos a atenção de todos para ter a responsabilidade de cuidar de seu quintal e não deixar água parada” ressaltou.

Além disso, Fernando informou que não há locais específicos com maior índice de infestação do mosquito e registro de casos da doença no município. “Em vários bairros possuem casos suspeitos e confirmados, deixando um alerta para a nossa equipe, pois devemos ter atenção em todos os lugares”, disse.

CASOS

Segundo dados da Coordenação de Vigilância Epidemiológica, da 1ª até a 13ª semana deste ano, a Saúde notificou 602 casos, sendo 270 positivos, 110 negativos e 222 suspeitos. “Houve uma relevante queda de casos notificados entre a 6ª e 10ª semana. Da 11ª até nesta semana, tivemos um leve aumento de notificações em decorrência das chuvas que caíram no final do mês de março. Com isso, o número de casos é proporcional de acordo com o clima”, explicou a coordenadora do departamento Adriana Louro Spazzapan.

CHIKUNGUNYA

Além da Dengue, outra doença que tem deixado em alerta o Município é a Chikungunya que também é transmitida pelo mesmo vetor, o mosquito Aedes Aegypti, na qual apresentam sintomas parecidos com o da Dengue, como febre alta, dor de cabeça, mal-estar, falta de apetite e dor no corpo.

A diferença é que a febre Chikungunya provoca dor nas articulações, provocando a inatividade do organismo da pessoa que foi atacada por um longo período, enquanto a Dengue pode causar complicações como risco de hemorragias, queda da pressão arterial e agressão dos órgãos. O Município ainda não registrou nenhum caso confirmado da doença.

(*) Assessoria de Comunicação Social/Prefeitura de Três Lagoas

Dependendo da situação do imóvel é realizado o manejo mecânico, com a remoção dos possíveis materiais onde o mosquito possa se proliferar (Foto: Divulgação/Assessoria)

A equipe realiza o trabalho diário de visita domiciliar com orientação e verificação de possíveis criadouros do mosquito (Foto: Divulgação/Assessoria)

Comentários