06/05/2016 14h46 – Atualizado em 06/05/2016 14h46

Até o momento foram registrados 650 casos positivos da doença, um número menor comparado ao mesmo período do ano passado, onde foram registrados 951 positivos

Assessoria

A Secretaria Municipal de Saúde de Três Lagoas esclarece a definição de casos de Dengue em Três Lagoas. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado na última quarta-feira (4), o Município registrou até o momento 650 casos positivos de Dengue.

Segundo o coordenador do Departamento de Educação e Saúde, Fernando Garcia, a Saúde define o caso de dengue em três tipos: notificado ou suspeito, confirmado ou positivo e descartado ou negativo.

No primeiro caso citado, a notificação ocorre quando o paciente apresenta sintomas decorrentes da Dengue e vai à unidade de Saúde, onde o médico registra o caso suspeito. No segundo caso citado, o confirmado é quando o exame laboratorial atesta a presença do vírus da Dengue. No terceiro, o descartado ou negativo é quando o diagnóstico do laboratório não apresenta o vírus no corpo do paciente.

“Muitas vezes o paciente realiza apenas a consulta médica e deixa de fazer o exame laboratorial, como também os sintomas não podem ser necessariamente da Dengue podendo vir a resultar em negativo”, explicou Fernando.

COMPARATIVO

Comparando os números de janeiro a abril do ano passado, houve queda no registro de casos notificados, confirmados e suspeitos em Três Lagoas. Nos três primeiros meses do ano passado, foram 951 positivos, enquanto neste ano foram 650; em 2015, foram 1.268 casos notificados já neste ano foram 1.150 e no ano anterior foram descartados 316 exames e em 2016 foram 201.

Além da queda do número de registros de casos em relação ao ano anterior, houve também a diminuição do Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa). Em janeiro, o Município de Três Lagoas apontou número de 4.4, já em abriu o número caiu para 0.2. A média preconizada pelo Ministério da Saúde é de 0.9%.

“Tanto a diminuição de casos como também a queda do índice de infestação foi graças ao trabalho da Guerra Contra o mosquito transmissor da Zika Vírus, Chikungunya e Dengue. A ação foi realizada pelos agentes de Saúde em parceria com Exército Brasileiro, no período de 12 de janeiro a 06 de março deste ano, na qual resultou a coleta de 156 toneladas de criadouros do mosquito Aedes Aegypti”, disse Fernando.

Embora os números sejam positivos, o Coordenador de Educação e Saúde reforça que ainda todo o cuidado é pouco e que os trabalhos de combate ao mosquito não param em Três Lagoas. “Comparado aos outros municípios do mesmo porte, sabemos que o nosso índice de infestação está baixo, mas pedimos para que a população não descuide de seus imóveis e evitem a proliferação do mosquito”, reforça.

CHIKUNGUNYA E ZIKA

Em relação à Chikungunya foram notificados até agora o total de sete casos, sendo cinco descartados, um aguardando resultado de laboratório e um confirmado.

Sobre a Zika Vírus, até o momento, foram notificados 46 casos, sendo 19 descartados, 17 confirmados pelo laboratório, quatro negativos e seis aguardando resultado final.

(*) Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Três Lagoas

Comentários