13/11/2006 15h37 – Atualizado em 13/11/2006 15h37

O Departamento de Saúde Coletiva da Prefeitura de Três Lagoas está preparando uma série de ações para orientar os portadores de diabetes, que até o ano passado eram pouco mais de 1.950. A diretora do departamento, Jeovania Borges de Queiroz, disse que um relatório com o número exato deverá ficar pronto até o final deste mês de novembro. Amanhã, dia 14, será comemorado Dia Nacional de Controle e Prevenção a Diabetes e diferente do que aconteceu no ano passado, o setor de saúde do Município não irá realizar mutirão da saúde. Em 2005 cerca de 80 pessoas, sendo 30 acadêmicos de Fisioterapia da Faculdade AEMS, 20 acadêmicos do curso de Enfermagem da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) e servidores da Sejuvel e Secretaria de Saúde, participaram do evento, que foi realizado pela primeira vez em Três Lagoas. Jeovania explicou que esse ano mudanças dentro do Ministério da Saúde fez com que a campanha fosse apenas realizada dentro dos centros de saúde e em posto de atendimento médico. OS NÚMEROS De acordo com a Organização Mundial da Saúde, existem mais de 180 milhões de diabéticos em todo o mundo. Em 14 de novembro comemorava-se o aniversário de Frederick Banting, que junto com Charles Best, criou a insulina. Essa data é lembrada até hoje para alertar a população para os riscos da diabetes. Só no Brasil são cerca de 5 milhões de portadores, e o número cresce a cada dia. Este aumento é conseqüência dos péssimos hábitos e estilo de vida, e também decorrência do envelhecimento da população. De acordo com o dr. Bráulio Luna Filho, presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), o Infarto Agudo do Miocárdio é a principal causa de morte relacionada ao diabetes, atingindo mais freqüentemente mulheres portadoras de diabetes do tipo 2. DIABETES O Diabetes Mellitus é caracterizado pela hiper­glicemia, o aumento dos níveis de açúcar no sangue. Isso pode ocorrer por diferentes motivos, culminando nos vários tipos da doença. Qualquer que seja a causa, o tratamento gratuito já é oferecido em todo o País. Tipo 1 A manifestação do diabetes tipo 1 é mais comum na infância, embora possa surgir em outras faixas etárias. Com evolução inicial mais rápida, drástica e grave, acarreta perda de peso, sede excessiva, diurese e fome aumentados e cansaço fácil. Tipo 2 Geralmente se manifesta após os 40 anos e em indivíduos obesos, com alimentação inadequada e também em sedentários. Pelo fato de geralmente não causar sintomas específicos, passa despercebido e costuma ser descoberto muito tempo depois, quando o paciente já está debilitado e com complicações. Estima-se, por isso, que cerca de metade dos portadores não saiba de sua condição, permanecendo sem tratamento.

Comentários