11/03/2016 14h35 – Atualizado em 11/03/2016 14h35

A Vigilância Epidemiológica confirma o primeiro caso de Zica em Três Lagoas

Assessoria

O Zika Vírus não existia no Brasil, assim como não existia no mundo nenhuma regra de como proceder sobre as informações da doença. Desta forma, a partir da primeira confirmação da doença em Três Lagoas, o Município passa a emitir boletins periodicamente para apresentar as notificações (casos suspeitos), assim como já acontece com a Dengue e Chikungunya.

A divulgação dos boletins já estava prevista desde o dia 18 de fevereiro preconizada pelo Ministério da Saúde, no entanto, o Município aguardava a primeira confirmação laboratorial, já que a Epidemiologia de Três Lagoas trabalha conforme a nota técnica emitida pelo Ministério, que é transmitida pela Secretaria de Saúde do Estado, que por sua vez divulgou, na última quarta-feira (9), o seu primeiro boletim epidemiológico de Zika contendo a confirmação do 1º caso no município, e, portanto, a partir de então o Departamento começa a inserir os casos notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN).

PARECER DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, a mudança na notificação é resultado de uma análise dos métodos de acompanhamento do vírus Zika no Brasil. Até então, a doença era monitorada por meio do sistema de vigilância sentinela para prestar apoio às medidas de prevenção à doença. O ministro ressalta que o Zika é uma doença nova no Brasil, tendo sido identificada pela primeira vez em maio de 2015 e, como qualquer outra nova doença identificada, necessita de estudos e reavaliações periódicas.

CONFIRMAÇÃO

Segundo explica Neide Yuki, Coordenadora de Vigilância em Saúde de Três Lagoas, a partir desta confirmação o município possui a certeza de que existe o vetor contaminado com o Zika no município, desta forma, cada notificação da doença deve ser apresentada e investigada, mas não é necessário o exame para confirmação laboratorial da doença para o inicio do tratamento. “O tratamento é iniciado a partir da suspeita de Zika e faremos os exames nas gestantes e em casos mais graves. Entretanto, os casos que já temos coletados, foram enviados a Secretaria de Saúde do Estado, que ainda deve nos repassar os resultados. Atualmente, temos 14 notificações aguardando resultado e já foram descartadas laboratorialmente 20 casos”, explica.

Neide ressalta que o 1º caso confirmado de Zika ainda será divulgado novamente na próxima terça-feira (15) no boletim da semana epidemiológica 10. “Fechamos a semana no domingo, na segunda compilamos os dados e na terça apresentamos no SINAN”, disse.

Em relação a Chikungunya, Três Lagoas permanece sem nenhuma confirmação em 2016, havendo apenas uma confirmação em 2015, de uma mulher que chegou no município vindo da Bahia já com a doença. Atualmente há cinco casos notificados três descartados e dois aguardando confirmação.

(*) Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Três Lagoas

O Zika Vírus não existia no Brasil, assim como não existia no mundo nenhuma regra de como proceder sobre as informações da doença. (Foto; Assessoria)

Comentários