13/05/2013 16h39 – Atualizado em 13/05/2013 16h39

Governo detalha proposta e reajuste da Polícia Civil pode chegar a 28% para os que ganham menos

Da Redação

Com proposta de reajuste nas tabelas funcionais de 7% este ano, 8% em 2014 e 12% em 2015, além de vantagens e reenquadramentos que elevam os salários de parte das categorias (a classe dos substitutos) em 28% já este ano, o Governo do Estado espera assegurar entendimento com os policiais civis, evitando greve e garantindo o funcionamento normal das delegacias e demais repartições da Segurança Pública. A persistência do impasse, contudo, pode fazer com que o reajuste fique restrito a 5% para todos, sem quaisquer outras vantagens.

A proposta do Governo contempla, ainda, uma série de vantagens além dos percentuais de reajuste. Entre elas, a extensão da etapa alimentação para todos os integrantes da Polícia Civil, o aumento do número de vagas para promoção de escrivães e investigadores, data fixa para promoção anual em lista tríplice e equiparação dos servidores DAP com os da segunda classe.

O maior impacto social da proposta do governo é a extinção da classe dos substitutos que, incorporados à terceira classe, conquistarão, na prática, um reajuste de 28%.

O conjunto de benefícios da proposta do Governo eleva de R$ 2.361,21 para R$ 3.031,80 o piso da categoria, um avanço que será perdido caso haja insistência na paralisação das atividades. A administração estadual está detalhando as conquistas para todos os integrantes, acreditando no entendimento e reiterando que com o impasse, o projeto será encaminhado com apenas 5% de reajuste, sem qualquer outra vantagem.

(*) Com informações de Notícias MS

O Governo do Estado espera assegurar entendimento com os policiais civis, evitando greve (Foto: Divulgação)

O maior impacto social da proposta do governo é a extinção da classe dos substitutos (Foto: Notícias MS)

Comentários