28/10/2015 14h59 – Atualizado em 28/10/2015 14h59

Deputado enviou as indicações na sessão plenária desta quarta-feira, 28 de outubro, ao Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Silvio Maluf, com cópia ao Chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula.

Assessoria

A formação de novos policiais civis em Mato Grosso do Sul é motivo de atenção a muitos municípios de Mato Grosso do Sul. A defasagem no número de efetivo tem sido encaminhamento para reivindicação de lideranças, como em Brasilândia. A vice-prefeita da cidade, Márcia Amaral, solicitou o apoio do deputado estadual Angelo Guerreiro para a destinação de policiais civis ao município.

Conforme documento enviado, a vice-prefeita solicita um delegado de polícia, já que Brasilândia tem recebido o atendimento do delegado de Santa Rita do Pardo, bem como um escrivão e seis investigadores. A situação está mais preocupante devido ao aumento de transferências e aposentadorias, diminuindo o efetivo na cidade.

O mesmo motivo também gera preocupação em Três Lagoas, onde o número de efetivo está abaixo e a cidade passa por um momento de “inchaço”, principalmente com a ampliação das duas maiores fábricas de celulose, Eldorado Brasil e Fibria. A estimativa é de que sejam gerados mais de dez mil empregos.

Além disso, vale salientar que os municípios de Brasilândia e Três Lagoas fazem divisa com o estado de São Paulo e são considerados rotas para o tráfico de entorpecentes. “Segurança é tranquilidade e é isso que a população quer. Com a formação desses novos policiais, esperamos que tais cidades sejam atendidas”, concluiu Angelo Guerreiro.

(*) Assessoria Dep. Angelo Guerreiro

Brasilândia e Três Lagoas fazem divisa com o estado de São Paulo e são considerados rotas para o tráfico (Foto:Reprodução)

Comentários