15/03/2016 09h48 – Atualizado em 15/03/2016 09h48

Diante do descumprimento da lei do piso, já afirmada pelo prefeito Alcides Bernal (PP) além da paralisação marcada para os próximos dias 15, 16 e 17, os professores agora também voltarão à Câmara Municipal

Da Redação

Diante do descumprimento da lei do piso, já afirmada pelo prefeito Alcides Bernal (PP) além da paralisação marcada para os próximos dias 15, 16 e 17, os professores agora também voltarão à Câmara Municipal, repetindo a cena que fez parte dos quase 90 dias de greve do ano passado.

Opositor do prefeito questiona a alternativa de minimizar o magistério

Para o vereador Edil Albuquerque (PMDB), a escolha do prefeito em não cumprir a Lei 5411/14 é reprovável por conta de três situações específicas da gestão pública dessa administração do executivo.

“Número um é que se trata de um lei em vigor, e que se existe tem que cumprir. Numero dois a categoria dos professores precisa de um tratamento específico, pelo tema que representa e também pelo tamanho que possui na prefeitura. E tem outra: se não pode atender que explique direito, que dê alternativas, escalone quem sabe. Tratar tudo de forma igual é esquisito”, pontua.

(*) O Estado Online

Sem cumprimento de lei, professores vão pedir que Câmara tranque pauta. (Foto: Divulgação)

Comentários