08/04/2016 18h31 – Atualizado em 08/04/2016 18h31

O programa terá uma série de diagnósticos para desenvolver toda a infraestrutura do município e readequação do Plano Diretor

Assessoria

O final da manhã de hoje (8) foi marcado pelo encerramento da primeira fase programa Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) com o Seminário de Diagnósticos desenvolvido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em parceria com o Instituto Votoratim, BNDES, Fibria e apoio da Prefeitura de Três Lagoas. O evento consultivo foi realizado durante toda quinta-feira (7) e no período da manhã desta sexta-feira (8), no auditório das Faculdades Integradas de Três Lagoas (AEMS), ambos os dias tiveram a participação da população, secretários municipais e demais autoridades.

A metodologia usada para realização do Seminário é aplicada pela empresa Synergia que deve permanecer durante todo o ano em Três Lagoas para compilação de dados. O evento foi dividido em Sustentabilidade Ambiental e Mudanças de Clima, Sustentabilidade Urbana, Sustentabilidade Fiscal e Governança e Competitividade.

De acordo com o coordenador da Synergia José Leandro Resende Fernandes, o seminário foi o início dos diagnósticos, observando que essa metodologia aproxima a empresa da população que por meio de representantes dos mais diversificados segmentos de atuação, puderam apresentar as deficiências e potencialidades do município.

“Estamos realmente satisfeitos com a participação popular, embora antes do evento, o Conselho das Cidades tivessem nos alertado sobre a possibilidade de a população ter dificuldade em participar, foi exatamente ao contrário. Em todos os eixos temáticos pudemos contar com excelente nível técnico que nos proporcionaram discussões de alto nível. A população pôde perceber a capacidade de empoderamento do programa, porque nós da Synergia somos um facilitador para promover o diagnóstico, porque na verdade as pessoas mais capacitadas para fazê-lo é a sociedade e pudemos perceber que, ela está bastante comprometida em construir o programa e garantir a arquitetura de uma Três Lagoas Sustentável”, disse o coordenador.

Ainda sobre o comprometimento da sociedade, José Leandro ressalta que todos os painéis de eixos temáticos tiveram grande presença popular que participaram ativamente das discussões. “Na abertura tivemos quase 200 pessoas no anfiteatro, desses, 60 pessoas são lideres em seu segmento de atuação, ou seja; um terço do público possui alto nível técnico, e, portanto, são multiplicadores e formadores de opinião e depois no decorrer do dia esse público aumentou porque as salas com as exposições dos eixos temáticos ficaram lotados. Por exemplo, a aala que tratava sobre Sustentabilidade Urbana participaram cerca de 60 pessoas, na de Sustentabilidade Ambiental obteve a participação de 40 a 50 pessoas, Sustentabilidade fiscal, 30 pessoas e Competitividade 30 pessoas. É uma excelente participação”, ressaltou.

O coordenador explica que a partir do que foi discutido serão definidas as próximas ações da Synergia e já é previsto também uma pesquisa com 1.200 entrevistas já com a compilação desses dados para ter uma percepção das prioridades.

A secretária de Planejamento e Gestão Carmen Goulart parabenizou a participação da população. “O Seminário serviu inclusive para mostrarmos a população que a gestão pública também tem dificuldades e que muitas vezes as expectativas não podem ser sanadas da maneira que acreditam ser possível. Dessa forma inclusive ela entendeu a importância de estar conosco no programa. Foi muito bom ver esse empoderamento. As pessoas vieram com compromisso e de peito aberto e com certeza farão um excelente trabalho com Três Lagoas”, disse a Secretária.

(*) Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Três Lagoas

O evento consultivo foi realizado no auditório das Faculdades Integradas de Três Lagoas (AEMS) (Foto: Assessoria)

Comentários