11/11/2006 08h04 – Atualizado em 11/11/2006 08h04

Campo Grande News

O seqüestrador afirmou também que não queria machucar ninguém. Silva manteve dezenas de pessoas dentro de um ônibus por dez horas e meia. O seqüestro terminou por volta das 18h30, quando o Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro cercou e invadiu o veículo que estava às margens da rodovia Presidente Dutra. Quatro minutos mais tarde, o seqüestrador de 35 anos se rendeu e deixou o veículo sem trocar tiros com os policiais. Sua ex-mulher, Cristina Ribeiro, foi levada para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, por uma ambulância do Corpo de Bombeiros. O seqüestro iniciou por volta das 8h na rodovia Presidente Dutra, na altura de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro. O seqüestrador colocou uma arma na cabeça de sua ex-mulher na parada de ônibus e a levou para dentro de um veículo da linha 499 da Viação Tinguá, que faz a linha Cabuçú-Central do Brasil. Por volta das 11h, 19 pessoas foram libertadas, quando uma senhora passou mal. No início da tarde, a mãe e a irmã do seqüestrador foram chamadas ao local para negociar com Silva. Às 15h39, outras onze pessoas foram libertadas. O seqüestro terminou no fim da tarde, quando homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) invadiram o ônibus.

Comentários