01/04/2015 17h23 – Atualizado em 01/04/2015 17h23

O 2º intervalo sincronizado dos servidores do Poder Judiciário foi nesta quarta-feira (1º), novamente das 15h às 15h15, em protesto pela falta de valorização por parte do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS)

Assessoria

Tendo um dos piores salários comparado aos demais Tribunais de Justiça do País. A expectativa é que mais de mil servidores em todo Estado participem do movimento.

O Sindijus-MS (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul) está em negociação salarial com a presidência do Tribunal de Justiça e reivindica melhores condições de trabalho para os servidores que prestam serviço de eficiência e celeridade, fazendo do TJMS ser elogiado nacionalmente, inclusive recentemente recebeu o selo diamante de qualidade de serviço concedido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A orientação da direção do sindicato é para que os servidores organizem um circulo/arco em torno dos Fóruns das Comarcas maiores ou fazer uma roda com os trabalhadores em frente ao prédio das Comarcas menores, ambos de mãos dadas.

A ideia da manifestação é “De mãos dadas, servidores mostram união no Poder Judiciário”. Sendo uma forma de tentar sensibilizar e conscientizar os demais servidores, população e operadores do direito sobre a unidade dos trabalhadores do judiciário diante da falta de valorização salarial por parte da presidência do Tribunal de Justiça (TJMS).

As manifestações irão continuar até o Tribunal de Justiça responder a Pauta de Reivindicações dos servidores, sendo intensificados os movimentos gradualmente. Caso os pleitos não sejam atendidos, os trabalhadores podem entrar em greve e parar os serviços do Judiciário por tempo indeterminado.
No Fórum de Campo Grande, a mobilização se concentrará na entrada do prédio pela Rua da Paz. Na sede do Tribunal e demais Fóruns do interior, a manifestação ocorrerá na frente da entrada principal.

(*) Sindijus – MS

Presidente Fabiano Reis em Fórum de Campo Grande no primeiro protesto. (Foto: Divulgação)

Comentários