25/06/2015 17h30 – Atualizado em 25/06/2015 17h30

Servidores federais fazem passeata no centro de Campo Grande

Os professores da UFMS, que entraram em greve no dia 15 de junho, também estiveram presentes, juntamente com os administrativos que estão em greve desde o dia 28 de maio.

Assessoria

Cerca de 250 servidores federais vestidos de preto participaram hoje do Dia Nacional de Lutas, manifestação que aconteceu em todas as capitais brasileiras e que tem como objetivo demonstrar o descontentamento das diversas categorias do Executivo com a atual política de ajuste fiscal do Governo Federal, que tem penalizado apenas os trabalhadores.

A concentração aconteceu na Praça do Rádio Clube, onde dois caixões, simbolizando a Educação Nacional e o Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, abriram a passeata que tomou a Avenida Afonso Pena, desceu a Rua 14 de julho e terminou na Rua Barão do Rio Branco, onde as entidades fizeram um ato simbólico depositando sobre os caixões faixas e bandeiras.

Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais de MS (Sindsep-MS), Mário Nei Alves, a manifestação é uma demonstração da unidades das categorias em torno de uma pauta unificada. “Corremos contra o tempo, pois o Ministério do Planejamento precisa fechar o orçamento para 2016 e as mesas de negociações não têm avançado. As greves já começaram e outras categorias devem aderir ao movimento”, explica.

Os professores da UFMS, que entraram em greve no dia 15 de junho, também estiveram presentes, juntamente com os administrativos que estão em greve desde o dia 28 de maio. Compareceram também ao ato, os professores da Reme, em greve desde o dia 25 de maio, onde o presidente da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais de Educação), professor Geraldo Gonçalves tomou a palavra e denunciou o pedido de sua prisão feito pela prefeitura ao TJMS, por desobedecer a ordem de encerrar a greve. Servidores do Sindjufe-MS, que também estão em greve compareceram ao ato, juntamente com os servidores da Asibama-MS.

As principais demandas dos servidores federais são:

*A suspensão imediata do pagamento das dívidas interna e externa, com realização de auditoria.
*Mais investimentos na educação.
* A reposição da perda salarial de 27,3% acumulada desde 2010.
* A data-base para o 1ª de Maio.
* A paridade entre Ativos e Aposentados e Pensionistas.
*O fim das distorções salariais entre os Três Poderes.
* O Direito Sagrado de Greve.
*Mais Concursos públicos em todos os setores
* O fim do Fator Previdenciário.
* Um Serviço Público de qualidade à população brasileira.

Somos contra:

*A Terceirização e o sucateamento dos Serviços Públicos.
* A criação do SUT e do desmantelamento do MTE.
-Repudiamos:
*A morosidade da justiça nos processos que envolvem os servidores (as) federais.
*A Impunidade de políticos envolvidos nos escândalos de corrupção.
Na capital, o dia Nacional de Lutas foi organizado pelo Sindsep-MS, Sista-MS e ADUFMS.

(*) Sindsep-MS

 Compareceram também ao ato, os professores da Reme, em greve desde o dia 25 de maio. (Foto: Sindsep-MS)

Comentários