Levantamento foi feito pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) no mês em que completa sete anos

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), associação que reúne a cadeia produtiva de árvores plantadas, do campo à indústria, completa 7 anos neste mês de abril. Entre os principais objetivos da associação estão o trabalho ativo para alinhar as empresas associadas no mais elevado patamar de ciência, tecnologia e responsabilidade socioambiental e atuar para que os brasileiros conheçam o setor, que entrega produtos essenciais para o dia a dia de todos. Para iluminar esta discussão, a entidade realizou um levantamento do volume de árvores para fins industriais plantadas por dia, que chegou à marca de 1 milhão de novas mudas cultivadas diariamente.

Trata-se de um número muito significativo, uma vez que as árvores são responsáveis por remover e estocar CO2, um dos gases do efeito estufa, que causa graves problemas climáticos. Os produtos gerados a partir do pinus, do eucalipto e outras espécies plantadas para fins industriais estocam carbono. 

A celulose nacional chega às mãos de milhões de pessoas em todo o planeta em diversos produtos como, livros, tecidos de viscose, papéis higiênicos e embalagens. Das árvores cultivadas também são produzidos fraldas, pisos móveis, paletes, caixotarias, desinfetantes, aromatizantes, espessantes, solventes, vernizes, colas, borracha sintética, etc.

Essas árvores são verdadeiras biorefinarias. Quase tudo o que é hoje feito a partir dos materiais fósseis poderá ser feito a partir dos frutos desse cultivo, atendendo a demanda do consumidor que exige produtos sustentáveis e com rastreabilidade. A celulose microfibrilada, por exemplo, é uma fonte para novos tecidos, que demandam menos água e componentes químicos em sua produção. Já a partir da lignina será possível fazer opções verdes de fibra de carbono.

“Este é um setor que planta, colhe e replanta árvores. São 1 milhão de árvores plantadas por dia, fruto de muita ciência e tecnologia aplicadas a sustentabilidade. Em um momento em que o Brasil enfrenta um dos piores cenários de desindustrialização, temos no setor um case para provar que investimento em inovação, cuidado com meio ambiente e com pessoas têm sucesso de mercado, construindo um passado, presente e futuro”, afirma Paulo Hartung, presidente da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).

Essa agroindústria coloca o Brasil como referência mundial e tem uma receita bruta total na casa de R$ 100 bilhões. As empresas no Brasil têm investimentos previstos em expansão de R$ 35,5 bilhões até 2023, destinados para florestas, novas fábricas, expansões, tecnologia e ciência.

Comentários