Celulose, principal produto de exportação em MS, é a grande estrela do setor, com US$ 1,5 bilhão de vendas ao exterior; já como reflexo do início da pandemia, produção de papeis sanitários cresceu de janeiro a março

O setor florestal, que inclui produtos obtidos a partir de florestas plantadas, como celulose e papeis, chegou a US$ 2 bilhões em exportações no primeiro trimestre de 2020.

O resultado foi divulgado pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá). A grande estrela do setor continua sendo a celulose, principal commodity de exportação de Mato Grosso do Sul, que foi responsável por US$ 1,5 bilhão desse valor. As vendas de papel somaram US$ 451 milhões e painéis de madeira US$ 68 milhões.


O saldo da balança comercial do setor teve uma queda de 27,5% no período, em comparação com o primeiro trimestre do ano passado, atingindo US$ 1,8 bilhão. O setor representou 9,6% das exportações do agronegócio nacional e 4,1% do total do comércio exterior brasileiro.

A China seguiu como principal mercado da celulose brasileira, adquirindo US$ 719 milhões do produto. A América Latina, por sua vez, é o destino com maior negociação para painéis de madeira (US$ 38 milhões) e papel (US$ 262 milhões).

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é cenarios.png

“São números de um período que abrange janeiro, fevereiro e de março, mês em que a pandemia ainda estava iniciando sua escalada no Brasil. Mas o aumento da produção de papéis demonstrou como os produtos originados nas árvores cultivadas, como as embalagens, que fazem alimentos e medicamentos chegarem a mercados e lares, e papéis para fins sanitários, como papel higiênico e lenços, se mostraram fundamentais. Este é um setor nato da bioeconomia, de base renovável, presente no dia a dia das pessoas e que está ao lado das pessoas no combate da Covid-19”, afirmou Paulo Hartung, presidente da Indústria Brasileira de Árvores.

Abaixo, o resumo de cada subsetor e o painel completo com os indicadores de desempenho do setor de árvores plantadas durante o primeiro trimestre de 2020. Os dados estão disponíveis na 61ª edição do Cenários Ibá, boletim mensal da Indústria Brasileira de Árvores. 

Produção – A produção de papel chegou a 2,6 milhões de toneladas (+1,2%) no trimestre. Destacaram-se o papel para fins sanitários (+4,0%), papel cartão (+2,8%) e papel para embalagem (+2,8%). Já a produção de celulose somou 5,1 milhões de toneladas (+5,3%).

Vendas Domésticas – As vendas de painéis de madeira no Brasil, no primeiro trimestre de 2020, somaram 1,6 milhão de m³ (-1,2%).  Já o volume de vendas domésticas de papel foi de 1,3 milhão de toneladas.

Exportações em volume – As exportações de papel apresentaram avanço de 3,8%, com total de 518 mil de toneladas comercializadas. A celulose chegou a 3,8 milhões de toneladas negociadas com outros países durante o período. Painéis de madeira totalizaram 313 mil m3 exportados.

Comentários