Apesar de reconhecer que não tinha obrigação institucional de produzir EPIs, o Sindicato produziu seis mi máscaras e comprou álcool em gel até para esterilizar viaturas de escolta

Com o objetivo de reduzir os riscos de contágio de Covid-19 por servidores da Administração Penitenciária, o Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária do Estado de Mato Grosso do Sul decidiu confeccionar cerca de seis mil máscaras de proteção, que serão distribuídas gratuitamente aos servidores.

O Sindicato alega que há desabastecimento e carência de Equipamento de Proteção Individual nas unidades prisionais do Estado e que, mesmo sem ter essa responsabilidade institucional, decidiu somar esforços para assegurar que os servidores penitenciários tenham condições mais apropriadas para desempenharem as suas atividades.

Para a produção dos EPIs, o SINSAP MS enfrentou a escassez de matéria-prima e buscou fornecedores em outro Estado para a compra de materiais, como TNT de gramatura 80, elástico de 1 cm de largura e haste flexível para a confecção de aproximadamente das máscaras.

O sindicato procurou uma empresa especializada nessa atividade e que vai observar todos os critérios estabelecidos pela vigilância sanitária e pelos profissionais de saúde.

Os EPIs serão distribuídos entre os servidores “em breve”, segundo o Sindicato. Além das máscaras o Sinsap adquiriu 50 litros de álcool em gel e pulverizadores, para desinfectar viaturas de escoltas.

Comentários