23/04/2014 16h06 – Atualizado em 23/04/2014 16h06

Em Três Lagoas, 15 fazendas participaram do programa e segundo o presidente do Sindicato Rural

Da Redação

O Sindicato Rural de Três Lagoas, juntamente com a parceria com o Sistema Famasul, Senar, Funar, Aprosoja e Sindicatos Rurais envolvidos no programa Mais Inovação, realiza no dia 24 de abril, às 19h00, no auditório do Sindicato Rural de Três Lagoas, uma reunião com o objetivo de mostrar os resultados da primeira etapa do programa. O objetivo do Mais Inovação, além de inserir tecnologia nas propriedades rurais de Mato Grosso do Sul, alerta o produtor rural sobre as técnicas de um melhor aprimoramento nas pastagens degradadas e melhoria do processo produtivo com reflexos econômicos, sociais e ambientais.

Em Três Lagoas, 15 fazendas participaram do programa e segundo o presidente do Sindicato Rural, Pascoal Secco, as melhoras foram visíveis. “Todos foram convidados pelo Sindicato para participarem. Na minha fazenda, a São Joaquim, a recuperação foi muito boa. Com isso conseguimos mais qualidade nas pastagens. Eles entraram com o estudo e também com a aplicação de calcário, gesso e adubo. Os resultados de cada fazenda serão apresentados nesse evento”, finaliza.

ESTUDO E PARTICIPAÇÃO

Diversas técnicas são aplicadas de acordo com o perfil de cada fazenda. A recuperação, renovação, manutenção e manejo de pastagens, diversificação de produção, aumento da produtividade e retorno financeiro ao produtor rural é fruto de uma boa análise e também de investimentos no setor. As etapas são feitas obedecendo alguns critérios. Para o programa Mais Inovação I, é feito o: diagnóstico da propriedade, elaboração do projeto técnico, ratificação e/ou retificação do projeto junto à Embrapa Gado de Corte ou Fundação MS, validação junto aos produtores rurais, entrega do protocolo aos produtores, consultorias/execução das ações descritas no projeto e consolidação e apresentação dos resultados as entidades participantes e aos produtores rurais.

Já para o Mais Inovação II o diagnóstico da unidade de produção é o passo inicial. Logo na sequência a elaboração do projeto técnico, ratificação e/ou retificação do projeto junto a Embrapa Gado de Corte ou Fundação MS; validação do projeto junto aos produtores rurais, entrega do projeto aos produtores, aplicação da lista de verificações com elaboração do relatório do perfil de entrada da propriedade, recomendações para o atendimento dos itens não conformes na lista de verificação do programa de boas práticas agropecuárias; consultorias/execução das ações descritas no projeto, consolidação e apresentação dos resultados às entidades participantes e aos produtores rurais, análise e verificação da propriedade rural de acordo com a lista de verificação do BPA com elaboração do relatório do perfil de saúde da propriedade.

Para participar do projeto, o produtor rural deve ter capacidade de investimentos, recursos próprios ou financiamento; tamanho da área: 50 ha ou 10% da área; disponibilizar área para visitas técnicas; aceitar orientações técnicas e gerenciais de inovação; após validação do projeto, realizar exclusivamente as ações previstas, não sendo admitida qualquer alteração e o investimento de contrapartida financeira de R$ 1.500,00 não será devolvido em nenhuma hipótese após assinatura do termo de adesão.

Todos estão convidados para participarem do evento que será realizado no dia 24 de abril, às 19h00, no auditório do Sindicato Rural de Três Lagoas.

(*) Com informações de Assecom Sindicato Rural

O objetivo do Mais Inovação, além de inserir tecnologia nas propriedades rurais de Mato Grosso do Sul, alerta o produtor rural sobre as técnicas de um melhor aprimoramento nas pastagens degradadas e melhoria do processo produtivo com reflexos econômicos, sociais e ambientais (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários