14/04/2016 15h59 – Atualizado em 14/04/2016 15h59

O Sindicato Rural do município disponibilizou ônibus leito para transportar produtores rurais à Brasília participar da manifestação em apoio à votação que acontecerá dia 17. Com adesão gratuita ônibus sairá na tarde de sábado para a Capital Federal

Ricardo Ojeda e Daniela Silis

O Sindicato Rural de Três Lagoas, atendendo uma solicitação pela Famasul (Federação da Agricultura e Agropecuária do Mato Grosso do Sul) e da CNA (Confederação Nacional da Agricultura), vai disponibilizar um ônibus para que produtores rurais do município possam ir até Brasília, no dia 17 de abril, para apoiar a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. A votação está marcada para ser iniciada às 14h, no horário de Brasília.

O ônibus será custeado pelo Sindicato Rural, não incidindo nenhuma despesa ao produtor rural que quiser participar. Segundo informações fornecidas pelo delegado efetivo do sindicato, Ivan Carreto Junior, a saída está marcada para a tarde de sábado (16), para chegar pela manhã de domingo no Distrito Federal. A viagem dura 16 horas.

Carreto ainda afirmou que o produtor também não terá custos de alimentação em Brasília. “Lá haverá todo um aparato de alimentação, de banho, de local para poder ficar, tudo ligado à Confederação Nacional da Agricultura e da Famasul, que são entidades que estão ligadas ao evento”, informou.

Em imagens registrada pelo assessor parlamentar, Coaraci Castilho, na manhã desta quinta-feira, dá para ter dimensão da extensão da cerca

MUNICÍPIOS DO ESTADO

A ideia de levar os produtores rurais de todo o estado do Mato Grosso do Sul surgiu na terça-feira, por solicitação da Famasul. A partir de então o processo começou a ser desenhado para que Três Lagoas também pudesse participar, junto com produtores da região.

Além de Três Lagoas, outras cidades próximas ao município também já se programaram para apoiar o impeachment. Segundo Carreto, os municípios de Bataguassu e Inocência já estão fechados para a viagem. Também está sendo combinado com o Sindicato de Bataguassu e de cidades que ficam ao Sul do estado para que se encontre em Três Lagoas e saiam em comboio.

DE TRÊS LAGOAS

O ônibus que irá sair de Três Lagoas ainda não tem o número suficiente de produtores para ir à manifestação. Segundo o delegado efetivo do sindicato, o ônibus leito tem 44 lugares e terá água mineral disponível para os passageiros. “São de 14 a 16 horas de viagem só para ir, então o pessoal tem que ir confortável, pois chegando lá vão precisar ficar em pé, vai ter certo desgaste, mas pelo menos a viagem tem que ser confortável”.

Carrato ainda ressaltou que a maioria dos custos será bancada pelo Sindicato e pela Famasul, porém, antes de chegar na cidade, o ônibus irá fazer uma parada para que os passageiros tomem um café da manhã e façam higienes pessoais. Esse café da manhã, caso ache necessário, será custeado pelo passageiro.

CHEGADA

O ônibus está marcado para chegar a Três Lagoas na segunda-feira (18) de manhã, com a parada sendo o Sindicato Rural do município. “O pessoal vai poder deixar o carro no sindicato, porque ali é seguro. Então ele vai poder chegar e sair de carro para facilitar”.

SERVIÇO

O interessado em acompanhar essa excursão até Brasília para apoiar a votação do Impeachment da presidente Dilma Rousseff, deve procurar o Sindicato Rural de Três Lagoas pelo número (67) 3521-4049, ou na Avenida Ranulpho Marques Leal, 1850, no Jardim Alvorada. O ônibus tem o objetivo de levar produtores rurais do município, mas caso não dê lotação, estará aberto a demais pessoas.

“É importante dizer que a excursão é para pessoas favoráveis ao impeachment, para que não haja nenhuma confusão”, finalizou Carrato.

De acordo o Assessor Parlamentar Coaraci Castilho, que registrou e enviou as foros que ilustram essa reportagem, a Esplanada dos Ministérios está cercada para dividir os manifestantes no domingo. A cerca tem uma extensão de 2 quilômetros (Fotos: Coaraçi Castilho)

No próximo domingo, 17 o Congresso Nacional terá um dia histórico quando os deputados votarão o impeachment da presidente Dilma Roussef (Foto: Coaraci Castilho)

Na imagem dá para perceber o inicio do cercado que vai dividir os manifestantes (Foto: Coaraci Castilho)

Comentários