07/03/2012 07h15 – Atualizado em 07/03/2012 07h15

Políciais e Três Lagoas e Paranaiba recebem treinamento sobre sistema de mapeamento da violência

Software da Sejusp que vai mapear crimes e auxiliar policiamento preventivo e investigativo será detalhado a policiais de Três Lagoas e Paranaiba nesta quinta-feira

Da Redação

Os órgãos de Segurança Pública ( Polícia Militar e Polícia Civil) de Três Lagoas e Três Lagoas ativam nesta quinta-feira sistema que vai ajudar no mapeamento e investigação de crimes na região. A nova ferramenta, um software de georreferenciamento, permite o acompanhamento das ocorrências em tempo real, oferecendo à Polícia condições para ações preventivas e rápida solução de crimes.

O sistema foi apresentado nesta terça-feira em Campo Grande, nesta quarta chega a Dourados e na quinta será mostrado em Três Lagoas, uma das 11 cidades polos onde o sistema está entrando em plena operação a partir da capacitação de policiais .

De acordo com a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública, todas as sedes das delegacias regionais e ainda batalhões da Polícia Militar terão acesso em tempo real ao programa de georreferenciamento. Este software desenvolvido junto ao banco de dados do SIGO (Sistema Integrado de Gerenciamento de Gestão Operacional Sigo) faz o monitoramento digitalizado a partir de ocorrências e denúncias e já está disponibilizado nas unidades e opera desde o ano passado. Agora a Sejusp faz a capacitação.

Segundo o coordenador de Fiscalização e Controle da Superintendência de Inteligência da Sejusp, investigador Francisco Duarte de Almeida, com o georreferenciamento que utiliza a cartografia digitalizada do município será possível o acompanhamento de todos os dados onde está ocorrendo uma análise criminal de uma determinada região. “Há um monitoramento em tempo real das ocorrências, indicando o local, o horário das principais incidências de crimes e inclusive mapeia as atividades com a migração de um local para o outro com a precisão de quase 100%”, diz.

Para o policiamento investigativo, o coordenador explica ainda que a utilização do software é fundamental já que são fornecidas informações como, por exemplo, se a ocorrência é roubo ou furto, se aconteceu numa residência ou no comércio, ou seja, as principais características do crime em determinada região. “Teremos mais qualidade no serviço, então para a investigação vai trazer informações essenciais para que o inquérito possa ser concluído com precisão”, justificou.

A expectativa é fazer com que os policiais possam utilizar a inteligência artificial para suas atividades, na prevenção ou na repressão dos crimes. A Sejusp já está realizando as capacitações para o uso do georeferenciamento. Nesta terça-feira, cerca de 20 policiais civis e militares de Campo Grande e Coxim realizaram o treinamento.

De acordo com o tenente-coronel da Polícia Militar, Ezequiel Martins dos Santos, o trabalho que já vem sendo feito há mais de um ano agora vai efetivamente ser colocado à disposição de todos os batalhões e delegacias. “O tempo de reação da polícia será menor porque vamos trabalhar com a localização geográfica específica de um determinado tipo de ocorrência e a ação. A polícia vai dar resposta mais rápida à sociedade”, afirmou.

A nova ferramenta de trabalho foi anunciada pelo secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, no mês passado. Segundo o secretário, a Sejusp fornecia um relatório aos municípios, mas não de forma on-line. “Esta fase representa um grande avanço e a partir de agora, os comandantes da PM e dos delegados da Polícia Civil poderão acessar de imediato os dados, e monitorá-los diariamente, possibilitando o planejamento de ações preventivas e repressivas”, disse.

.

Treinamento de policiais para operar sistema de mapeamento começou na terça-feira. (Foto: Edemir Rodrigues)

Cartografia digitalizada vai auxiliar na solução rápida de crimes. (Foto: Edemir Rodrigues)

Comentários