27/08/2014 12h03 – Atualizado em 27/08/2014 12h03

Polícia diz que homem se escondia na casa de parentes, em Campo Grande. Aos policiais, ele afirmou que cometeu o crime por ciúmes da vítima

Da Redação

Um pedreiro de 50 anos, suspeito de matar e carbonizar o corpo da mulher, em Chapadão do Céu, no sudoeste do estado, foi preso pela Polícia Civil de Goiás em Campo Grande, em Mato Grosso do Sul. De acordo com o delegado responsável pelo caso, André Fernandes, ele estava foragido desde o dia do crime, no último dia 1º, e permanecia escondido na casa de parentes.

A vítima, que tinha 39 anos, foi encontrada carbonizada dentro de um carro em uma estrada de terra próxima à cidade. Segundo o delegado, o casal vivia junto há 11 anos e o crime teria sido motivado por ciúmes, pois, segundo o relato do suspeito, a mulher mantinha um relacionamento extraconjugal com outro homem.

Após ser preso, o pedreiro foi encaminhado para a Delegacia Regional de Polícia em Jataí, também no sudoeste de Goiás, onde, segundo o delegado, confessou o crime. Ele disse que antes de queimar o corpo havia matado a mulher a facadas.

O delegado afirma que objetos encontrados na cena do crime facilitaram a localização do suspeito e também indicam que ele planejou o assassinato. “Foi um crime que houve uma premeditação na questão da compra da substância inflamável”, destacou. O homem foi indiciado por homicídio e permanece preso em Jataí.

(*)Com informação de G1 MS

Corpo da vítima foi encontrado carbonizado dentro de carro, em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Comentários