04/10/2017 18h46

TAC entre DNIT e empresas de celulose proíbe comboios de treminhões

De acordo com o órgão, foi firmado um TAC com o DNIT e as indústrias de celulose. Caso as empresas não cumpram o acordo, pode ter o trafego de treminhões suspenso. Ficou estabelecido que a distância mínima permitida é de 500 metros

Ricardo Ojeda e Flávio Veras

Dando sequência a reportagem da BR 262, o Perfil News conversou com o engenheiro chefe do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) de Três Lagoas, Milton Rocha Marinho, sobre o tráfego de treminhões que transportam eucalipto para as indústrias de celulose de Três Lagoas.

Segundo chefe regional do Dnit, Milton Marinho, pensando em melhorar tal situação foi feito um Termo Ajustamento de Conduta (TAC) com as transportadoras responsáveis por estes veículos que carregam a carga de eucalipto. O acordo foi pactuado justamente para evitar prejuízo do trânsito de veículos menores, esses caminhões são obrigados a obedecer às regras estabelecidas, como não formar comboios. Ficou determinado que os profissionais do transporte de madeira deve cumprir algumas determinações, como por exemplo, uma distância de 500 metros entre os veículos para evitar comboios.

De acordo com Marinho, quem for pego pela fiscalização que é feita pelo Dnit e PRF poderá perder a licença de operação especial para utilização da rodovia.

Além disso, outro acordo celebrado com a regional do DNIT refere-se ao trânsito de veículos pesados. Foi pactuado que no trecho entre Água Clara e Três Lagoas só é permitida a circulação de nove carretas de transportando madeira por hora. Essa medida é devida as irregularidades e imperfeições da malha asfáltica nessa localidade, que põem em risco os usuários da via.

TRANSTORNOS

A formação de comboio na rodovia, ocasiona, além de lentidão na viagem, provoca filas de veículos, com transtornos aos outros condutores, principalmente os de automóveis, motocicletas e veículos de transporte coletivo.

“Além disso, existem regras no horário para o tráfego desses veículos, é proibida a ultrapassem entre eles, bem como diversas outras normas que constam no documento. Caso uma empresa seja flagrada descumprindo essas determinações, existem punições, como já aconteceu duas vezes. Se acontecer pela terceira, o órgão poderá suspender o transporte por tempo indeterminado, dessa forma, a produção de celulose poderá ser prejudicada”, afirmou Marinho.

DENÚNCIA

Porém essa regra vem sendo quebrada regularmente mostra as fotos registradas por volta do meio dia de segunda-feira passada, dia 2, pelo operador de máquina, Volnei Becker, que retornava para Três Lagoas com a sua família e teve que ficar em um comboio de carretas por vários minutos, quando conseguiu ultrapassar encontrou logo a frente, nas proximidades do córrego do Pombo outro comboio de carretas vindo na direção contrária.

O engenheiro orientou aos usuários da rodovia no caso de flagrar algum motorista cometendo essas irregularidades, pode fotografar, ou filmar, e levar esse material para fazer a denúncia no escritório do DNIT, em Três Lagoas. “Dessa forma, o órgão pode tomar providência imediata”, finalizou.Serviço: O escritório de DNIT, em Três Lagoas, fica localizado na Rua Maria Moreira Queiroz, 563, no bairro Santos Dumont. O telefone para contato é o (67) 3524 – 9540.

Mesmo proibido é comum a formação de comboios das carretas com carga de celulose como a mostra as fotos envidas ao Perfil News (Foto: Volnei Becker)

Até nas subidas é comum encintar uma carreta próximas a outra (Foto: Ricardo Ojeda/Arquivo)

No trecho entre Três Lagoas e Água Clara cenas como essas são constantes, dificultando a ultrapassagem de veículos pequenos (Foto: Ricardo Ojeda)

Outra situação perigosa é a ultrapassagem que as carretas de eucaliptos fazem entre si (Foto: Ricardo Ojeda/Arquivo)

Comentários