18/11/2006 17h44 – Atualizado em 18/11/2006 17h44

O Estado de São Paulo

A Telefônica deve lançar nos próximos dias seu serviço de TV paga via satélite. A central de atendimento da empresa informou que o serviço poderá ser contratado no Estado de São Paulo a partir de segunda-feira, mas a assessoria da empresa nega a informação, dizendo que houve um ‘erro de script’. Oficialmente, a companhia garantiu que a data do lançamento ainda não foi marcada, e que não será segunda-feira.Segundo a atendente do call center, o pacote mais barato custará R$ 39,90, com 18 canais, incluindo os abertos SBT, Bandeirantes e MTV. O mais caro sairá por R$ 79,90, com 58 canais, incluindo os três abertos e 10 canais da HBO. A Telefônica também nega que os preços estejam definidos. Caso o serviço saia com esses preços, será mais barato que o dos concorrentes Net e Sky/DirecTV. O pacote de entrada da Sky, com 29 canais, está em R$ 64,90. O de menor preço da Net sai por R$ 49,90.A atendente também informou que o kit de antena e conversor será oferecido em comodato. Ou seja, o cliente não precisa comprá-lo, como acontece na Sky. Ela também disse que, no início do ano que vem, quem tem Speedy, serviço de banda larga da Telefônica, terá desconto na TV paga. A empresa tem em andamento um piloto de televisão por satélite em São Carlos (SP).Para oferecer o serviço, a Telefônica fechou um acordo operacional com a Astralsat, que já tinha uma licença de DTH, sigla de Direct To Home, sistema de TV paga via satélite. O presidente da Sky, Luiz Eduardo Baptista, acusou a prestação do serviço pela Telefônica de ilegal.’Eles precisariam da aprovação da Anatel’, disse o executivo, referindo-se à Agência Nacional de Telecomunicações. ‘Se o serviço for lançado, será uma afronta de uma empresa estrangeira à agência reguladora brasileira.’ A Anatel informou que o processo, em que a Telefônica comunicou à agência seu acordo com a Astralsat, ainda se encontra em processo de instrução e que não existe prazo previsto para a agência se posicionar.No último dia 5, na saída de um evento no sindicato de técnicos de DTH, em São Paulo, foi distribuído um folheto que dizia: ‘Telefônica contrata técnicos para sua TV via satélite. Registro em carteira, ass. médica, vale transp., vale refeição e outros benefícios’. No dia 12, o Caderno de Empregos deste jornal publicou um anúncio em que uma empresa de telecomunicações procurava instaladores de TV paga via satélite.’Temos indícios muito estranhos nos últimos dias, que apontam para um lançamento no dia 20′, afirmou Baptista. ‘Os movimentos da Telefônica nos últimos 60 dias mostram que ela quer monopolizar o mercado de São Paulo. Por que ela não lança TV paga no Nordeste?’ Para o executivo, o acordo com a Astralsat significa, na prática, que a Telefônica assumiu o controle da empresa, pois, segundo ele, a operadora vende o serviço com a sua marca, define preços, contrata programação e técnicos.A Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) entrou ontem com um documento na Anatel contra os planos da Telefônica de operar TV paga em São Paulo, o que considera ilegal e anticompetitivo.

Comentários