Secretaria de Saúde vai investigar descarte de materiais, que podem estar contaminados

CORREIO DO ESTADO – Dezenas de testes para Covid-19 e Hepatite C, já utilizados, foram dispensados às margens da BR-463 em Dourados. Num trecho de 100 metros, amostras de swab (cotonete) e placas de testes rápidos (usado em análise sanguínea) chamaram atenção de populares.

A prefeitura de Dourados disse que vai investigar o caso, uma vez que os materiais para testagem de Covid-19 têm regras específicas para descarte, reguladas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e podem expor pessoas que manusearem estes materiais, a eventual contaminação. No local é possível constatar que são incontáveis o número de amostras. Algumas estão evidentes no acostamento da rodovia, outros embrenhados na vegetação que margeia a estrada.  

Swab (cotonete) usado no teste RT-PCR, em pessoas que estão com sintomas de Covid. Fotos: Correio do Estado

Além das amostras, há também luvas, compressas de gaze, seringas, todas com sinais de uso. Algumas placas de testes rápidos apresentam vestígios de sangue.  

Os itens estão próximos à entrada do residencial Campo Dourado. Centenas de pessoas passam diariamente pelo local, sejam de carro, caminhão, moto, e até mesmo de bicicleta ou a pé. O local é ponto de travessia para acesso à área com escolas, postos de saúde e parques.

Além dos testes para Covid-19, ainda há amostras para hepatite C em grande quantidade.

O que diz a Secretaria

A reportagem acionou a Secretaria Estadual de Saúde, que através da Assessoria de Imprensa informou que cabe ao município responder pelo descarte das amostras.  

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Dourados afirmou que o caso deverá ser investigado, após denúncia de boletim de ocorrência.  

Conforme o departamento, não se pode atribuir à administração a responsabilidade do fato sem antes buscar indícios que comprovem isto, considerando que materiais hospitalares de clínicas particulares também são descartados no aterro sanitário local.

A assessoria ainda cita o fato do descarte coletado em Laguna Carapã, cidade a 58 km de Dourados, também usar o mesmo espaço para destinação dos itens não reutilizáveis.  

O Correio do Estado falou com o secretário municipal de saúde de Dourados, Gecimar Teixeira, que garantiu a abertura de sindicância para apuração do caso.  

Ainda buscamos o setor de Vigilância Sanitária para entender o que será feito com o material encontrado na rodovia. Segundo o diretor Emerson Eduardo Correia, o material não foi utilizado em Dourados. Ele explica que as amostras coletadas na cidade são embaladas em plástico branco e encaminhado para o descarte adequado. Além do plástico, o material ainda é embalado em caixa específica para transporte de material perfurocortante.

“A empresa Atitude Ambiental é responsável pelo recolhimento nas unidades de saúde. No Corpo de Bombeiros, é responsabilidade deles. Esse material não pertence a secretaria municipal de Saúde, e a partir de amanhã nós iremos lá recolher, mesmo que não seja responsabilidade nossa e sim federal, considerando estar na rodovia”, afirmou.

A legislação prevê pena de reclusão, de um a quatro anos, e multa para quem Produzir, processar, embalar, importar, exportar, comercializar, fornecer, transportar, armazenar, guardar, ter em depósito ou usar produto ou substância tóxica, perigosa ou nociva à saúde humana ou ao meio ambiente.

Crédito: Oswaldinho Duarte

Boletim

Dourados já tem 3.834 casos positivos para Covid-19. Conforme o boletim desta terça-feira (21/7), 2.292 pessoas já se recuperaram, outras 1.464 estão em isolamento domiciliar ainda com o vírus ativo no organismo.  

Estão internados em Dourados 87 pacientes, sendo 33 em leitos clínicos e outros 57 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Desses 87, 57 são residentes na cidade.

Comentários