07/08/2008 12h45 – Atualizado em 07/08/2008 12h45

Trabalhadores do Complexo industrial International Paper (IP) e Votorantim Celulose e Papel (VCP) investiram hoje em mais uma manhã de protestos. Este é o terceiro dia de greve, e desta vez, os manifestantes iniciaram o movimento no alojamento I, que comporta cerca de três mil trabalhadores, mas a Polícia Militar conteve a manifestação.

 

Depois de poucas informações para a imprensa sobre as razões da greve, foi apresentada hoje a pauta de reivindicações. Ao todo são 19 itens. O primeiro deles é a equiparação salarial para os trabalhadores do setor, depois, melhorias no tratamento interpessoal dos administrativos, pessoal do ponto e almoxarifado; querem também melhores condições de trabalho.

 

Alguns trabalhadores da montagem industrial alegam nem terem óculos de proteção. Eles exigem uma fiscalização do CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), dentre ouras reivindicações.

 

A pauta de reivindicações foi entregue perante a presença de cerca de 80 pessoas. De acordo com o comando da greve, por Átila Adão da Rocha Albuquerque, 25 anos, os trabalhadores tentaram intervenção com a classe sindical do Estado de São Paulo, devido a dificuldades de diálogo e entendimento com o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil, Imobiliário e Cerâmica de Três Lagoas.

 

Durante os protestos, Albuquerque alega que houve agressão de policias contra ele. Há informações de que os trabalhadores teriam tentado impedir o trânsito na rodovia, o que é negado pela liderança da greve.

Comentários