20.6 C
Três Lagoas
quarta-feira, 20 de outubro, 2021
InícioNotíciasCaderno PerfilTradicional churrasco feito pelos pais foi inspiração para negócio

Tradicional churrasco feito pelos pais foi inspiração para negócio

Neste Dia dos Pais, Sebrae/MS conta a história da Costchêlaria, restaurante de Campo Grande especializado em carnes; Empresa tocada por casal une culturas pantaneira e gaúcha

Todo domingo, o encontro era garantido. As famílias Rigodanzo e Zirr se reuniam em torno da mesa, para saborear o delicioso churrasco feito pelos patriarcas. Um dos pais era, inclusive, uma referência na arte de assar a costela gaúcha, fazendo os tradicionais “costelões” no fogo de chão em Missões, no Rio Grande do Sul. Foi a partir destas memórias afetivas, que o casal Rodrigo Scherer Zirr e Caroline Rigodanzo Zirr, inaugurou em 2016 em Campo Grande a Costchêlaria, restaurante especializado em carnes.

O proprietário Rodrigo Scherer Zirr conta que, tanto o próprio pai, quanto da esposa, foram figuras marcantes na transmissão do modo de fazer churrasco gaúcho, herança que é o grande “abre alas” do restaurante, presente em cada detalhe. “Nossos pais nos criaram fazendo churrasco. Todo domingo era o dia mais feliz da semana, era um dia que o pai estava lá mexendo no churrasco, ia comprar as carnes, ensinava como é que se fazia, como fazia o fogo, como salgava a carne. Isso no Rio Grande do Sul é uma cultura muito forte, esse momento de família, das pessoas estarem se reunindo ali, tomando um drink antes, conversando, tomando um chimarrão, é um momento especial de família”, conta Zirr.

Já em Mato Grosso do Sul, o casal decidiu transformar o amor pela costela feita no fogo de chão em um sonho profissional. O negócio, localizado no bairro Jardim dos Estados, apresenta a cultura gaúcha herdada pelos pais no modo de fazer churrasco, aliada a outro traço marcante: a cultura Pantaneira, presente nas carnes cuidadosamente selecionadas no Estado. Além disso, a Costchêlaria fica em um espaço que foi a casa da família do artista Almir Sater, um dos principais expoentes da vida pantaneira, orgulhosamente abraçada pelos proprietários.

No restaurante, os clientes encontram, nas palavras do proprietário, “o que existe de melhor no mundo do churrasco”, além da estrela principal da casa, a famosa costela assada por 6 horas de fogo na Costchêlaria.  Sempre inovando, o negócio também criou os petiscos a vontade no jantar, além de ter bebidas próprias, como espumantes e o tradicional vinho Malbec para acompanhar os melhores cortes de carne que a casa oferece.

Hoje, com cinco anos de negócio, o proprietário comemora o sucesso em Campo Grande, fruto de muito trabalho e planejamento, além do apoio do Sebrae/MS. Inclusive, a empresa cresceu tanto, que os pais vieram do Rio Grande do Sul para apoiar os filhos, passando a fazer parte do time de colaboradores. “Quando a gente abriu, os meus pais e os da Carol ficaram no Rio Grande do Sul. Depois eles acabaram vindo para ajudar nós aqui também, porque vimos que Campo Grande tinha comprado a ideia. Hoje, por exemplo, meu pai é o gerente da casa e cuida de todos os colaboradores. Quando criamos a Costchêlaria, até dentro do Planejamento Estratégico, a gente sempre colocou que queria criar uma marca, para durar 100 anos”, reflete Zirr.

Para os próximos anos, os proprietários projetam investir ainda mais em inovação, após todas as modificações realizadas para atender os clientes com a pandemia de coronavírus – uma delas foi a criação de “churrasco no modelo drive thru”. A proposta também é abrir mais casas da marca em Campo Grande e em outras cidades no País, mais um legado que a Costchêlaria irá deixar para os amantes do bom churrasco. Todo esse caminhar de sucesso começou lá atrás, nos almoços de família no Rio Grande do Sul, e nos ensinamentos passados de pai para filhos.

“Com relação aos valores, nossos pais passaram para nós principalmente o amor pelo churrasco e com relação ao trabalho, sobre a dedicação. Não ter preguiça de trabalhar, de sempre querer fazer as coisas de forma certa, se entregar para o negócio. Também às vezes não focar só no dinheiro, um restaurante vai muito além disso, ele envolve amor, tem um pouco de poesia… A gente precisa encantar as pessoas, tanto clientes como colaboradores. Então, acredito que principalmente é isso, uma entrega ao trabalho, valorização do trabalho e das pessoas que estão junto conosco”, finaliza Zirr.

Assessoria de Comunicação

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Comentários
error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.