06/09/2018 15h07

Uma nova reunião de trabalhos aconteceu no auditório da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas (ACITL), na segunda-feira (3), para a continuidade de discussões de propostas de ação

Redação

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em conjunto com a Coordenação Municipal de Defesa Civil, deu mais um passo no processo de discussão para elaboração do VIGIDESASTRES, que é um Plano de Contingência para Emergência em Saúde Pública, causada por agentes QBRN (Químicos, Biológicos, Radiológicos e Nucleares).

O primeiro encontro ocorreu no dia 1º de agosto na sede do Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejo), quando foi dado o passo inicial da discussão da necessidade de se criar em Três Lagoas esse Plano de Contingência para Emergências em Saúde Pública.

Uma nova reunião de trabalhos aconteceu no auditório da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas (ACITL), na segunda-feira (3), para a continuidade de discussões de propostas de ação.

Nas duas reuniões, os trabalhos foram dirigidos pelo coordenador estadual de Vigilância em Saúde Ambiental e do Centro Integrado de Vigilância Toxicológica (CIVITOX) da Secretaria Estadual de Saúde (SES), engenheiro sanitarista e ambiental, Karyston Adriel Machado da Costa, e pelo representante da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, agente Sandoval Leonardo Júnior.

Nesses dois encontros, houve a participação do coordenador municipal de Defesa Civil, Paulo Leite de Menezes, e da diretora de Vigilância em Saúde e Saneamento da SMS, Geórgia Medeiros de Castro Andrade.

Junto com coordenadores dos vários setores de Vigilância em Saúde e Saneamento, notadamente da Vigilância Ambiental, os dois encontros contaram também com representantes do Exército Brasileiro, Corpo de Bombeiros, Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA), Hospital Auxiliadora e Hospital Cassems, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192 e Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 horas).

O objetivo do Programa VIGIDESASTRE “é desenvolver um conjunto de ações integradas a serem adotadas pelas autoridades de Saúde” no enfrentamento de emergências, com respostas rápidas e eficientes, ou seja, baseadas num “eficiente Plano de Emergência”, ressaltou o representante da Secretaria Estadual de Saúde.

PRESERVAR VIDAS

“O objetivo principal de toda a mobilização, envolvendo os diversos órgãos e serviços, como Corpo de Bombeiros, Hospitais, Defesa Civil, SAMU e UPA, é sempre o de preservar vidas”, enfatizou Paulo Menezes.

“Para a Defesa Civil de Três Lagoas é um grande apoio a iniciativa da Secretaria Estadual de Saúde de fomentar a implantação do Plano de Contingência para Emergências em Saúde Pública, para que, preventivamente, sejam preparadas pessoas dos diversos segmentos para atender a possíveis desastres”, comentou.

Paulo Menezes antecipou que, no próximo dia 13 (quinta-feira) haverá uma nova reunião de trabalho “para darmos prosseguimento à criação do Comitê que irá unificar essas diversas instituições que Três Lagoas possui e que já trabalham e têm experiência na prevenção de acidentes”, anunciou.

Importante de tudo isso é que “a Defesa Civil, assim como outros segmentos, estarão trabalhando, de agora em diante, de forma integrada, na busca de melhorias e aperfeiçoamento de respostas imediatas”, resumiu Paulo Menezes.

(*) Assessoria de Comunicação

Nesses dois encontros, houve a participação do coordenador municipal de Defesa Civil, Paulo Leite de Menezes (Foto/Assessoria)

Comentários