Ranking de Competitividade dos Municípios avaliou as cidades com mais de 80 mil habitantes

Três Lagoas ficou em terceiro lugar entre os municípios com mais de 80 mil habitantes que oferecem melhor acesso a saúde no país. Mais de 400 cidades participaram do Ranking de Competitividade dos Municípios criado pelo Centro de Liderança Pública (CLP).

O Ranking de Competitividade dos Municípios tem como intuito gerar diagnósticos e direcionamentos para a atuação dos líderes públicos municipais, identificando dentro de cada um de suas 3 dimensões (instituição, sociedade, economia) e 12 pilares temáticos (sustentabilidade fiscal, funcionamento da máquina pública, acesso à saúde, qualidade da saúde, acesso à educação, qualidade da educação, segurança, saneamento e meio ambiente, inserção econômica, inovação e dinamismo econômico, capital humano, telecomunicações) quais são os pontos fortes e fracos que influenciaram a classificação final do município em cada um dos 55 indicadores contemplados.

Acesso à saúde

Considerado pelo Ranking uma condição básica para avaliar o nível de bem estar da população, a garantia de acesso à saúde está diretamente associada à missão governamental de atender as necessidades da população.

“Nos municípios onde a população possui maior acesso aos serviços de saúde observa-se maior qualidade de vida. O que diretamente afeta a produtividade e a competitividade de um município”, diz o documento evidenciando o resultado da pesquisa.

De acordo com a pesquisa, neste pilar (acesso a saúde) Três Lagoas alcançou a terceira colocação em todo território nacional (nota 93,69); já em cobertura vacinal, a Cidade atingiu a 1ª colocação com nota máxima, 100; em cobertura da atenção básica Três Lagoas atingiu a 58ª posição com nota 99 e a 103ª posição no indicador de atendimento pré-natal com a nota 82,08.

Importância do ranking

De acordo com o documento, o Ranking de Competitividade dos Municípios, aliado à vontade política, é uma poderosa ferramenta para balizar as ações dos governos estaduais. Com ele, o desafio da construção de um Estado com elevados padrões socioeconômicos se torna mais factível.

“A competitividade de um município está diretamente ligada à capacidade de ação dos seus líderes públicos. O ranking veio oferecer as bases para a construção do legado de competitividade para aqueles governos que assim desejam fazer”, explica.

Para Tadeu Barros, diretor-executivo do CLP, a necessidade de mais líderes no setor público é notável em todas as hierarquias. “A difícil mobilidade do setor público, mergulhado em burocracias, exige ações enérgicas que, por sua vez, só podem ser tomadas por verdadeiros líderes públicos”.

Ele explica no documento que as marcas dessa crise de liderança se fazem presentes na falta de uma agenda nacional de desenvolvimento, na grande burocracia e nos projetos sem fim, que tanto marcam a política de infraestrutura nacional.

“A atuação contínua de líderes públicos é o passo inicial para destravar as agruras da gestão pública nacional. Pessoas com poder de tomar decisões e que consigam mobilizar a sociedade em prol de uma agenda positiva para o País”, evidencia.

Para o prefeito Angelo Guerreiro, o resultado é um importante termômetro não só para a gestão que trabalhará com mais afinco para alcançar mais posições com resultados satisfatórios, mas para a sociedade que pode conferir a seriedade do trabalho da gestão que não mede esforços para oferecer o melhor a população.

“O resultado desta importante pesquisa nos mostra que estamos no caminho certo e não podemos parar por aqui. Vamos continuar trabalhando para oferecer o melhor a população não só ao acesso a Saúde, mas a qualidade deste e de outros pilares tão importantes quanto para a qualidade de vida dos três-lagoenses”, finalizou.

Comentários