18/03/2016 12h25 – Atualizado em 18/03/2016 12h25

Três Lagoas lança programa “Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis”

A iniciativa da Fibria, Instituto Votorantim e BID prevê do desenvolvimento ordenado do município

Assessoria

Três Lagoas será o primeiro município não capital a receber um plano voltado para aumentar a qualidade de vida dos seus habitantes e preparar a cidade para o desenvolvimento sustentável. Na noite de ontem (17) foi lançado pela Fibria, no anfiteatro do Sest/ Senat, na presença da prefeita Márcia Moura (PMDB), o Programa de Apoio à Gestão Pública, uma iniciativa conjunta do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), do Instituto Votorantim.

Juntas irão financiar a elaboração do Plano de Ação Três Lagoas Sustentável e a revisão do Plano Diretor Participativo para o desenvolvimento do município em longo prazo, construído de forma conjunta com gestores públicos e sociedade.

A partir de agora, o BID, por meio da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES), fará um diagnóstico para o município e desenvolverá o Plano de Ação Três Lagoas Sustentável, voltado para aumentar a qualidade de vida dos seus habitantes e preparar a cidade para o desenvolvimento sustentável.

Para o presidente da Fibria, Marcelo Castelli, dizer que Três Lagoas é o primeiro município não Capital a receber o projeto, não é exatamente uma verdade, lembrando que o município é a Capital Mundial da Celulose. “Esse título apenas Três Lagoas possui e é uma satisfação estar aqui para lançar o projeto, já renovamos nossa fé na região com a implantação da segunda linha do complexo fabril de celulose e com essa parceria empreendedora podemos ser agentes mais uma vez do crescimento com responsabilidade e sustentabilidade do município” disse .

Em seu pronunciamento a prefeita Márcia Moura falou da honra de presenciar essa oportunidade para o Plano de Governo e ressaltou que embora o projeto tenha sido lançado em sua gestão, será na verdade, projetado para as administrações futuras. “Fico muito feliz em deixar esse legado aos outros prefeitos que virão. Este projeto fará com que Três Lagoas seja alavancada territorialmente. Lançamos hoje o futuro e miramos alto, sabendo que a partir de então o município crescerá dentro de estruturas de primeiro mundo para as próximas gerações”, disse a chefe do executivo.

Na oportunidade, o Deputado Estadual Ângelo Guerreiro ressaltou que Três Lagoas novamente dá provas que está além da crise nacional. “Esse é mais um programa que apresenta a grandiosidade do município e assim vemos que permanecerá de interesse para as empresas buscarem a região para novos investimentos”, disse.

O Secretário de Desenvolvimento Econômico e meio Ambiente do Estado, Jaime Verruck, falou da consistência do projeto e da necessidade da gestão estadual estar conectada com o programa.

PROGRAMAS E PARCERIAS
Durante a apresentação técnica do gerente geral do Instituto Votorantim, Rafael Gioielli, explicou que, o Programa de Apoio à Gestão Pública é uma parceria do Instituto Votorantim com o BNDES para apoiar prefeituras de municípios brasileiros na elaboração de projetos de modernização de gestão pública e ordenamento territorial, articulando parcerias e recursos, de forma transparente. “A Fibria se juntou às duas instituições para patrocinar o projeto em Três Lagoas, onde atualmente constrói a sua segunda linha de produção de celulose, conhecido como Projeto Horizonte 2. O programa utiliza metodologia da ICES (Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis), desenvolvida pelo BID, que apoia os municípios na busca por um crescimento mais equilibrado do ponto de vista urbano, ambiental, social e fiscal, com desenvolvimento econômico”, disse.

FOCO NA SUSTENTABILIDADEMárcia Casseb, especialista em Desenvolvimento Urbano do BID, explica que projeto se inicia com foco em Sustentabilidade e Desenvolvimento. Será elaborado o Plano de Ação Três Lagoas Sustentável, juntamente com seu Plano de Investimento. Serão coletados 120 indicadores das dimensões ambiental, urbana e fiscal e realizada uma pesquisa de opinião pública com a sociedade local para definição das prioridades de investimentos, sempre pensando em longo prazo. O grupo de trabalho irá identificar oportunidades de captação de recursos com fundos já existentes e fará estudos de base ambiental e de competitividade que impactam o município e o seu desenvolvimento econômico.

A especialista explicou que outra frente de trabalho é o Plano Diretor Participativo, que terá foco no ordenamento territorial, com diretrizes para uso e ocupação do solo. Nessa etapa, serão analisados o planejamento urbano de longo prazo considerando a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento socioeconômico. Também permitirá uma melhor organização das regiões do município levando-se em conta as suas diferentes vocações, integrando planejamento em transportes, saneamento, habitação, instalação e manutenção de equipamentos públicos.

SUPORTE PARA OS GESTORES PÚBLICOSTrês Lagoas é o sexto município do Brasil e o primeiro que não é capital de estado no país a ser beneficiado com o ICES (Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis). Além disso, a cidade também será a primeira do Brasil a receber um estudo adicional: o de competitividade, no âmbito da ICES.
Lançado em 2012, o Programa de Apoio à Gestão Pública visa compartilhar a experiência em gestão empresarial com o poder público e estimulá-lo a implementar melhorias nos indicadores de econômicos, sociais e de infraestrutura dos municípios.

“O Programa de Apoio à Gestão Pública em Três Lagoas é o primeiro que reúne as metodologias do Instituto Votorantim e BNDES com a do BID, duas iniciativas estruturantes, que oferecem instrumentos importantes para a administração pública preparar o planejamento estratégico e sustentável do município”, afirma Cloves Carvalho, diretor do Instituto Votorantim.

(*) Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Três Lagoas

Três Lagoas lança programa “Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis”. (Foto: Divulgação)

Comentários