UTI pública hoje conta com 10 leitos, e com a chegada dos novos respiradores terá 30 disponíveis para a população, que serão instalados conforme a demanda; outros 20 respiradores já adquiridos chegarão nos próximos dias

O prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro, esteve nesta manhã (28) no Hospital Auxiliadora acompanhado do diretor Marco Calderon, médicos da UTI e a secretária Angelina Zuque da pasta de Saúde (SMS) para receber os 20 respiradores comprados pelo Município para atender pacientes que necessitarem por conta da Covid-19.

Os respiradores chegaram na noite desta quarta-feira (27) e os funcionários que trabalharão com os equipamentos receberão a partir de hoje (28) treinamento específico para o uso.

A UTI pública hoje conta com 10 leitos, e com a chegada dos novos respiradores terá 30 disponíveis para a população, que serão instalados conforme a demanda. Outros 20 respiradores já adquiridos chegarão nos próximos dias. “Hoje é um dia de alívio, porque recebemos esse material mesmo antes de uma possível crise na Saúde em Três Lagoas”, comentou Angelo Guerreiro. A estrutura de saúde de Três Lagoas deve atender, também, a pacientes de Água Clara e Selvíria.

“Hoje vemos muitos Município sofrendo com a falta de respiradores, mas nós nos adiantamos ao problema e fizemos a aquisição logo no início, para garantir que caso seja necessário, tenhamos como atender à população”, afirmou Guerreiro.

Respiradores custaram R$ 85 mil cada e serão colocados em funcionamento de acordo com a demanda. Fotos: Divulgação

Outro ponto da aquisição antes do período crítico no país foi a compra por um preço menor que o encontrado atualmente. “Compramos cada respirador por R$ 85 mil. Hoje algumas Cidades estão comprando por mais de R$ 170 mil porque as empresas estão aproveitando para lucrar”, concluiu o prefeito.

Segundo a doutora Vanessa Alves de Lima, pneumologista e coordenadora da UTI COVID, “esses aparelhos já chegaram prontos para o funcionamento. Receberemos, hoje, o treinamento para o devido manuseio dos mesmos. Esperamos que não seja necessário o uso, mas se for preciso, estaremos preparados para atender à população”, concluiu.

Comentários