21/03/2012 16h51 – Atualizado em 21/03/2012 16h51

Sob o maior aquífero do mundo, Cidade das Águas prega uso racional dos recursos hídricos

Cercada de rios e com grandes reservatórios de água potável, Três Lagoas está consciente que abundância não pode desviar a atenção para a sustentabilidade

Rafael Furlan

Três Lagoas é considerada a “Cidade das Águas, devido ao riquíssimo recurso natural que banha o município e também o potencial turístico que a cidade oferece, tendo a água como sua principal fonte de diversão e lazer.

Sabe-se que no dia 22 de março, o Dia Mundial da Água, muitas ações precisam ser feitas e pensadas com um único objetivo, cuidar desse bem necessário para a sobrevivência humana.

Em Três Lagoas várias atividades foram desenvolvidas desde o início da semana, mobilizando alunos e a comunidade.

O grupo Perfil de Comunicação entrevistou um geólogo para saber a importância desse recurso natural disponível em abundância na cidade. Para José Luiz Lorenz, a cidade possui dois aqüíferos, o Guarani e o Bauru. “A nossa cidade é uma verdadeira ilha. Nós temos o córrego do Pombo, temos o rio Sucuriu, o rio Verde e o Rio Paraná”.

Benefícios

O geógrafo afirma que isso é um benefício para a cidade, pois “Três Lagoas será a última cidade do planeta a padecer com a escassez de água”, ressalta. Isso ocorre porque a cidade está acima da porção mais expressiva do maior aqüífero do planeta, o Guarani, o que representa a décima maior drenagem.
Por ser uma cidade promissora desse recurso, muitas pessoas acabam não aproveitando bem e desperdiçando sem nenhuma serventia dessa água.

Empreendimentos

O empresário Murilo Tebet Thomé apostou no segmento “água mineral”. Ele montou uma empresa e hoje está com uma equipe com mais de trinta colaboradores e engarrafando por hora cerca de 4 mil garrafas.

Para ele, este mercado foi promissor e passou por um longo estudo de área e de qualidade da água, até iniciar toda a fase de indust4rialização do produto. “Hoje carregamos de cinco a sete mil galões por dia de 20 litros. Prezamos muito pela qualidade dos serviços, pois é o que a nossa população irá ingerir. Então, seguimos todos os padrões de qualidade e a nossa água é muito boa. Depois dos estudos, essa fonte nossa ainda tem água para mais de duzentos anos”, diz Murilo.

“Acompanhamos todos os processos, desde quando o galão retornável passa pela inspeção, processo de lavagem externa e interna, passa pelas lâmpadas ultra violetas para esterilização, terminando no processo de envase da água mineral até passar pela lâmina de inspeção onde é lacrado e vendido para o consumidor”.

Discussões giram em torno do assunto, e dentro do cenário político eles estão tentando inserir a água mineral como item da cesta básica dos brasileiros, pois 44% do valor vendido é considerado imposto, o que faz com que a cesta básica se torne cara.

Cidade é banhada por diversos rios, inclusive o Paraná
Foto: Maycon Almeida

Geólogo explica características do potencial hídrico de Três Lagoas. (Foto: Maycon Almeida)

Três Lagoas tem água em abundância. (Foto: Rafael Furlan)

Empresário apostou no mercado de água mineral e está feliz com os resultados.  (Foto: César Esquibel)

Todo o processo é feito desde o processo de lavagem até a envase do produto. (Foto: César Esquibel)

Comentários