08/04/2014 10h02 – Atualizado em 08/04/2014 10h02

Equipes da Saúde Municipal estão dando prioridade esta semana a visitas residenciais na região do bairro Interlagos, onde os três casos teriam sido confirmados

Léo Lima

Funcionários da Prefeitura de Três Lagoas ligados à Secretaria Municipal de Saúde Pública estão percorrendo esta semana as casas e até estabelecimentos comerciais do bairro Interlagos para conscientizar a população da região sobre a importância da prevenção contra a dengue, doença considerada um dos principais problemas de saúde pública no mundo.

Segundo fontes da Saúde Municipal, este ano já foram notificados 61 casos da doença no município e até o momento três deles teriam sido confirmados. Na manhã desta terça-feira (08), equipes da Saúde percorreram o Interlagos, visitando os imóveis e orientando os moradores sobre o problema.

“Muito obrigado por esse trabalho; é muito importante”, agradeceu a moradora de um imóvel localizado na rua Bom Jesus, numeral 45. Enquanto isso, Amélia, secretária do lar que trabalha na residência, varria e limpava a calçada. Ela também foi alvo da abordagem do agente da saúde. “Moro aqui perto, no bairro Lapa, e vou conversar com meus vizinhos também sobre isso [dengue e conscientização]. Também acho importante esse trabalho da saúde municipal”, comentou Amélia, que recebeu folhetos explicativos sobre a dengue.

O agente de saúde, após as explicações sobre a doença, concluiu: “em caso de suspeita de dengue, procure o mais rápido possível o serviço de saúde mais próximo”.

Para tentar confirmar as informações, a reportagem do Perfil News tentou contato telefônico com a Secretaria Municipal de Saúde Pública de Três Lagoas, mas não conseguiu.

A DOENÇA

Um dos folhetos entregues pelos agentes de saúde à população três-lagoense, alerta que “a transmissão da dengue inicia-se quando o homem, principal hospedeiro, é picado pela fêmea do mosquito Aedes Aegypti, portador do vírus da doença. A partir de então, o vírus circula na corrente sanguínea por um período que varia de dois a sete dias”.

No folheto, mais informações de alerta: “a doença costuma evoluir para um quadro epidêmico durante o verão, quando as chuvas são mais frequentes, ocasionando a formação de poças d’água, meio propício para a reprodução dos vetores”.

A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus de evolução benigna, na maioria dos casos, e seu principal vetor é o Aedes Aegypti. Apresenta-se de duas formas: a Clássica e a Hemorrágica.

SINTOMAS

A Clássica tem os seguintes sintomas: febre alta com início súbito; forte dor de cabeça; dor atrás dos olhos; perda do paladar e apetite; manchas e erupções na pele; náuseas e vômitos; tonturas, moleza e dor no corpo; e dores nos ossos e articulações.

A Hemorrágica – a forma mais severa da doença – provoca os mesmos sintomas da Clássica, mas também apresenta outros sinais de alerta: vômitos persistentes; pele pálida, fria e úmida, sangramento pelo nariz, boca e gengivas, manchas vermelhas na pele, sonolência, agitação e confusão mental; sede excessiva e boca seca; pulso rápido e fraco; dificuldade respiratória; e perda de consciência.

Na dengue hemorrágica o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas.

SITUAÇÃO EM MS

Em Mato Grosso do Sul, segundo dados do 13° Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, divulgado no dia 2 deste, já foram notificados 3.530 casos.

Na região do Bolsão Sul-mato-grossense, em acordo com as informações da Saúde Estadual, o município com maior volume de notificações é Água Clara, com 61 casos.

O agente da saúde entrega folheto sobre a dengue a uma moradora da região do bairro Interlagos (Foto: Léo Lima)

Dona Amélia dá um tempo na varrição da calçada para atender o agente da saúde (Foto: Léo Lima)

Outra moradora do Interlagos recebe a visita do agente da saúde, que fala sobre a importância da prevenção (Foto: Léo Lima)

Comentários