19/03/2012 10h10 – Atualizado em 19/03/2012 10h10

Região de Três Lagoas tem R$ 1,5 milhão para assistência a usuários de drogas

Recursos serão empregados na atenção básica e tratamento de dependentes de álcool e crack

Edmir Conceição

A região de Três Lagoas terá R$ 1.537.732,51 do programa RAPS (Rede de Atenção Psicossocial de Mato Grosso do Sul) para serem aplicados em ações nas unidades de atenção básica, comunidades terapêuticas, serviço residencial de terapia e CAPS (Centro de Apoio Psicossocial).

Até o ano passado o volume de recursos era de apenas R$ 300 mil para atender Três Lagoas e Paranaíba. A destinação dos recursos foi confirmada nesta segunda-feira por meio de resolução da Secretaria de Saúde, publicada no Diário Oficial. Em todo Estado, a RAPS vai destinar R$ 9.620.265,11 para as regiões de Campo Grande, Dourados e Três Lagoas.

A Unidade de Atenção Básica de Três Lagoas, que não recebia nenhuma verba, terá este ano R$ 300 mil. A Comunidade Terapêutica dobra a verba de R$ 180 mil para R$ 350 mil. O Serviço de Residência Terapêutica de Paranaíba terá R$ 120 mil e o CAPS de Três Lagoas, que recebia R$ 60 mil, terá R$ 757.732, 56.

Os recursos serão divididos para a atenção primária nas Unidades Básicas de Saúde, Núcleo de Apoio à Saúde da Família, equipe de consultórios na rua, equipe de apoio aos serviços do componente atenção residencial de caráter transitório (suporte clínico e apoio nos ponto de atenção) e nos Centros de convivência e Cultura.

Também serão empenhados para a atenção psicossocial nos CAPS, para a atenção de urgência e emergência no SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Salas de estabilização e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) 24 horas.

ÁLCOOL E CRACK

O aumento na destinação de verbas, que na região de Três Lagoas quase triplicou, se deve também ao crescimento do aumento dos casos de transtornos provocados principalmente por álcool e drogas ilícitas, como o álcool.

São cobertos pela RAPS a Unidades de Acolhimento adulto, unidades de Acolhimento Infanto-Juvenil, Comunidade Terapêutica, leito hospitalar de referência para atenção às pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas (1 leito para cada 23.000 habitantes., enfermaria Especializada em hospital geral (1 leito para cada 23.000 mil habitantes.), serviços residenciais terapêuticos, Programa de Volta para Casa e também em cooperativas para geração de trabalho e renda e empreendimentos solidários.

Amplie e veja no mapa áreas cobertas pelos recursos da Rede de Atenção Psicossocial.

CAPS AD de Três Lagoas quase triplica verba para tratamento de dependentes.

Comentários