Aos 14 anos, Rafael é vice-campeão brasileiro da categoria e busca patrocínio para poder participar de competição que definirá classificados para o Pan-Americano; veja como ajudar

Vice-campeão brasileiro de Taekwondo, Rafael Rocha Ferreira dos Santos, de apenas 14 anos, enfrenta um adversário injusto no dia a dia: a falta de apoio.

Único selecionado na Categoria Cadete para participar do Grand Slam que acontecerá em Vitória, ele pode ter a chance de disputar vaga para a Seleção Brasileira e para o Pan-Americano. No entanto, para poder participar, ele precisa de ajuda.

Rafael começou a treinar aos nove anos e já trouxe muitas medalhas para o estado. Em agosto de 2019 foi selecionado para participar do Super Campeonato Brasileiro de Taekwondo no Rio de Janeiro, no Parque Olímpico. Foi o primeiro campeonato em que ele participou fora do Mato Grosso do Sul.

Ainda em 2019 trouxe para a casa a medalha de prata, com o vice-campeonato Brasileiro de Taekwondo. Nas três lutas que disputou, duas venceu por nocaute e a única derrota foi para o Campeão Pan-Americano. Além disso, apesar de ser faixa vermelha ele disputou com adversários faixas pretas e integrantes da Seleção Brasileira.

A pontuação obtida no ranking geral e o vice-campeonato nacional deram ao Rafael a chance de disputar o Grand Slam, que reúne os melhores atletas do país. A competição acontecerá em fevereiro em Vitória, no Espírito Santo.

É aí que a luta fica desleal: apesar de ter os índices e ser apto a participar dessa grande competição, Rafael não tem patrocínio e, segundo os pais, não tem nenhuma verba para ir para o Espírito Santo.

Os gastos para essa viagem, incluindo inscrições e passagem para ele e o técnico, além de hotel, equipamentos que ele precisa comprar pra lutar, alimentação, será de cerca de R$ 6 mil. Os pais, que já não tem mais de onde tirar, fazem um apelo para que as pessoas e empresas ajudem.

O Grand Slam de Vitória confirmará a seleção brasileira permanente da temporada nas categorias adulta e juvenil de Taekwondo e será seletiva aberta para o Campeonato Pan-Americano infantil, cadete (categoria de Rafael) e master. 

Uma luta diária

Rafael precisa estar em Vitória no dia 5 de fevereiro. A família avisa que será feita uma camiseta com os logotipos dos apoiadores, que será vestida quando ele subir ao pódio.

Quem quiser conhecer o Rafael pode acessar a página dele no Facebook e quem puder ajudar, a família criou uma vakinha virtual, que precisa arrecadar R$ 6 mil até o início de fevereiro.

Além de buscar apoio para o Grand Slam, Rafael precisa de apoio permanente para continuar em alto nível. Ele precisaria de uma nutricionista, natação, academia, alimentação saudável. Por enquanto, ele apenas continua os treinamentos 3x por semana, 1h30 por dia, juntamente com os outros alunos.

Comentários