09/09/2014 18h46 – Atualizado em 09/09/2014 18h46

Em várias regiões da cidade, os moradores se mostram preocupados com o problema que pode vir a causar prejuízos em eletroeletrônicos

Léo Lima

O empresário Sebastião Paulo dos Santos, há três anos funcionando sua tapeçaria na rua Bom Jesus, no bairro Interlagos, em Três Lagoas, se postava preocupado enquanto trabalhava uma peça para cobrir banco de um veículo que estava na oficina para trocar todo o estofamento. Isto, porque enquanto recortava a peça a luz não parava de piscar, como se algum curto circuito estivesse em processo.

“É constante essa oscilação e a gente fica preocupado com a queima de algum aparelho”, comentou Sebastião, acrescentando que “a empresa concessionária de energia elétrica, muitas vezes, nem toma conhecimento de nossa reclamação”.

Muitas pessoas ligaram para redação do Perfil News, principalmente no meio da tarde de hoje (09), reclamando sobre o problema e pedindo que o site entrasse em contato com a Elektro, responsável pelo abastecimento de energia elétrica na cidade, para resolver o problema.

“Esse pique de energia pode prejudicar a gente”, alertou uma moradora da mesma rua. Para ela, “na hora de cobrar a conta de consumo de luz eles dão em cima e às vezes até corta o fornecimento; mas, na hora de resolver esses problemas esquecem da gente”.

POSIÇÃO

A reportagem do Perfil News entrou em contato com a assessoria de imprensa da Elektro e ficou no aguardo do retorno da ligação. O pessoal da assessoria ficou de enviar uma posição da empresa quanto ao problema, inclusive, solicitando informações sobre a região onde estivesse ocorrendo a oscilação.

No entanto, até o fechamento desta matéria, às 17h55, não houve retorno.

Sebastião recorta material para encapar banco de um carro, preocupado com a oscilação da energia na tapeçaria (Foto: Rodolfo Gomes)

Comentários