09/05/2018 20h39

TRIO PARADA DURA

Esses sãos as três autoridades que respondem pela segurança da sociedade três-lagoense. Major Ênio Souza, comandante do 2º BPM, Rogério Market Faria (delegado regional) e Ailton Pereira, chefe do SIG.

Ricardo Ojeda

FOLHA DE SERVIÇOS

Ambos têm uma extensa folha de serviços prestados à sociedade de Mato Grosso do Sul, e agora, atuando com muita eficiência e dinamismo em Três Lagoas.

RASANTE

Falando em segurança, muitos que passaram pele manhã nas proximidades do Fórum ficou de pescoço doído de ficar olhando para cima. O motivo foi os rasantes de um helicóptero sobre nas cercanias do prédio.

A JUSTIÇA TARDA, MAS NÃO FALHA

Três integrantes do PCC, da mais alta periculosidade foram julgados pela morte de um policial militar aposentado, em ocorrência registrada em março de 2013.

SEGURANÇA REFORÇADA

Um “batalhão”, composto de vários grupos policiais fecharam as ruas de acesso ao Fórum, a fim de precaver qualquer possibilidade de resgate aos presos.

COMEMORANDO

Prefeitos dos municípios de: Água Clara, Anaurilândia, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Bataiporã, Brasilândia, Mundo Novo, Paranaíba, Ribas do Rio Pardo, Santa Rita do Pardo, Selvíria, Sonora e Três Lagoas, estão comemorando a proposta da senadora Simone Tebet.

MUDANÇA NA LEI

A proposta da senadora defendeu a mudança da Lei nº 13.661, de 8 de maio de 2018, altera a Lei 8.001/1990 para determinar que o montante da Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos e dos royalties da Itaipu Binacional aos municípios sedes de usinas hidrelétricas e alagados passa de 45% para 65%.

COMPENSAÇÃO

Segundo a Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas e Alagados, os 13 municípios de MS receberam R$ 33,6 milhões em recurso provenientes da Compensação Financeira e dos royalties em 2017.

INCREMENTANDO A RECEITA

A estimativa é de que este montante passe para R$ 48,6 milhões este ano, com a entrada em vigor da Lei, garantindo uma arrecadação extra de quase R$ 15 milhões. Em Três Lagoas, por exemplo, a mudança trará um incremento de R$ 2,6 mi em 2018.

AUMENTO

De acordo com o prefeito de Anaurilândia, Edinho Takazono, em janeiro de 2017, o município arredava uma compensação financeira em torno de R$ 380 mil. Porém, de abril de 2017 até então a arrecadação não passa de R$ 220 mil. Agora com essa lei deve subir 20%, comemora.

LIDERANÇA EMPRESARIAL

A empresária, Gláucia Jaruche, presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas vem despontando como uma autêntica liderança da classe empresarial. Antes, até que ela relutava e assumir o comando da entidade, mas uma conjunção de fatores a levou a mudar de ideia. Ainda bem!

BOM TRÂNSITO

De voz ativa e dinâmica, ela tem bom trânsito junto às autoridades do município, além de conduzir o diálogo para o sucesso das suas reinvindicações.

CLASSE DESUNIDA

Infelizmente a classe empresarial de Três Lagoas não é unida. Prova disso é que praticamente 10 a 15% dos empresários são filiados à associação, pagando uma “merreca” de contribuição que não dá ne R$ 100 por mês, é quase a metade disso.

QUEM SABE

Se os empresários fossem unidos, teríamos uma Associação Comercial forte a representativa. Infelizmente não é o que acontece. Quem sabe um dia muda…

DEBATE

Só para encerrar. Gláucia disse ao Caldeirão que pretende convocar os três principais candidatos ao governo do Estado para em debate em Três Lagoas. O evento será organizado pela ACITL e deverá acontecer e setembro. A intenção da líder empresarial é cobrar compromissos do futuro mandatário do Estado. O problema será conciliar a agenda dos candidatos.

AGORA VAI

Agora é oficial. A Petrobras anunciou através da sua assessoria de Comunicação que iniciou e negociação de venda da unidade da UFN3, para a Acron.

EXCLUSIVIDADE

Para quem não conhece, a Acron é uma empresa Russa com foco na produção e terá exclusividade por um período de 90 dias, referente ao processo de alienação integral de sua participação acionária na Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa), no Paraná, e de Três Lagoas, a UFN3.

DESCRÉDITO

Essa informação já estava desacreditada pela sociedade local, devido às inúmeras informações informando a venda da empresa, porém não se materializava.

IRRESPONSABILIDADE

Até o senador Pedro Chaves, que irresponsavelmente, no mês passado informou a um jornalista da capital que os russos teria batido o martelo, concretizando definitivamente a compra da empresa. Um jornal, de grande circulação no Estado, publicou matéria de capa, em letras garrafais. Porém, a informação não procedia.

SABÃO

Na época, o titular do Caldeirão ligou para a assessoria de Pedro Chaves, tentando uma entrevista, sem sucesso. O homem se esquivou como sabão.

NOVA REALIDADE

Em contato com a assessoria da Petrobras, a informação obtida é que a empresa não iria se manifestar. Só o faria com alguma posição concreta, o que aconteceu nesta quarta-feira. O jeito agora é aprender o dialeto russo, e ir se acostumando com alguns tragos de mais pura vodka Stolichnaya, tim, tim!

Comentários