06/12/2018 14h05

Redação

A UFMS apresentou o menor índice de fragilidade de controle de fraude e corrupção entre todas as Instituições Federais de Educação do Brasil no relatório realizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

A análise é resultado da Auditoria de Exposição da Administração Pública Federal a Fraude e Corrupção (Acórdão nº 2604/2018 – TCU – Plenário), que foi publicada no dia 28 de novembro de 2018. No total, foram avaliadas 287 instituições do Poder Executivo Federal, considerando os dados econômicos, regulação e os mecanismos de controle preventivo e detectivo.

“Este resultado é fruto do engajamento da gestão em ações de promoção da ética e integridade, liderança e transparência pública, requisitos essenciais para coibir práticas que favoreçam a corrupção. Além disso, a partir dos levantamentos sobre governança e gestão públicas realizados nos últimos anos pelo TCU, permitiu-se uma autoavaliação da gestão para entender os problemas estruturais em cada setor e adotar medidas para garantir suas correções”, afirmou o chefe da Auditoria da UFMS, Kleber Watanabe Cunha Martins.

Para o Reitor Marcelo Turine, os temas compliance e combate a fraude e corrupção são de extrema relevância para a governança das instituições. “A análise realizada pelo TCU mostra o comprometimento dos colaboradores da UFMS, nos dois anos da atual gestão, para atingir um grau de maturidade em governança pública em respeito à sociedade que financia nossas universidades. Estamos atentos à realidade nacional e internacional e a cada dia aperfeiçoando nossas ferramentas de avaliação, acompanhamento, controle e monitoramento das atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação”, declarou.

Confira os relatórios completos AQUI.

(*) Assessoria de Comunicação

Comentários