11/03/2019 11h16

O evento é organizado pelo Tribunal de Justiça e faz parte das ações da 13ª Semana da Justiça pela Paz em Casa

Gisele Berto

O Tribunal de Justiça realiza hoje (11), às 19h, no anfiteatro da UFMS, a palestra “Violência Doméstica: Quebrando o Tabu”.

O evento é parte das ações da 13ª Semana da Justiça pela Paz em Casa, em uma semana de esforço concentrado em todo o país visando conscientizar a população da necessidade de as mulheres vítimas de violência não se calarem, denunciando todo e qualquer tipo de agressão sofrida.

A palestra será proferida pela juíza Daniela Endrice Rizzo, da 3ª Vara Criminal, junto com o defensor público Olavo Colli Jr. e a assistente social Sheila Regina Ferreira, tendo o juiz Vinícius Pedrosa Santos como mediador. As palestrantes abordarão conceitos de violência doméstica, aumento de denúncias, medidas protetivas, Lei Maria da Penha, entre outros pontos importantes sobre a violência doméstica contra a mulher.

Os participantes do evento saberão que estatísticas mostram números alarmantes, quanto o assunto é violência doméstica como, por exemplo, no Brasil 503 mulheres são vítimas de agressões a cada hora e são registrados cinco espancamentos a cada dois minutos.

A palestra também desmistificará ditos populares como “em briga de marido e mulher ninguém mete a colher”, “lugar de mulher é na cozinha”, “mulher gosta de apanhar”, e mostrará como funciona o ciclo da violência doméstica e como a vítima deve proceder diante dos abusos, mostrando a quem ela pode recorrer.

De acordo com o Observatório Nacional da Violência Contra a Mulher, o país registrou em 2016 4.635 mortes em decorrência de violência e 402.695 novos processos foram abertos na justiça brasileira. Na comarca de Três Lagoas, a 2ª e a 3ª Varas Criminais registraram aumentos expressivos nos números: de janeiro de 2017 a janeiro de 2018, 1.652 processos foram anexados no acervo processual da Lei Maria da Penha.

A UFMS fica na Av. Ranulpho Marques Leal, n°3484, em frente à Mabel.

Cartaz de divulgação da palestra. Reprodução site TJMS

Comentários