28/08/2014 12h27 – Atualizado em 28/08/2014 12h27

O espaço terá equipamentos básicos para atendimento primário e estabilização de paciente grave

Da Redação

Começa a funcionar hoje (28) a Unidade de Suporte às Urgências no campus da UFGD para atendimento a agravos iminentes à saúde. O espaço é provisório e fica em duas salas do prédio de laboratórios do curso de Educação Física, da Faculdade de Educação (FAED). Em forma de escalonamento vão trabalhar três enfermeiros e três técnicos de enfermagem para atender a comunidade universitária das 7h às 23h, de segunda a sexta, e das 7h às 12h, aos sábados.

O espaço terá equipamentos básicos para atendimento primário e estabilização de paciente grave, como Desfibrilador Automático Externo (DEA), torpedos de gases medicinais tanto fixo quanto portátil, prancha rígida de transporte e cadeira de rodas para remoção de paciente com dificuldade de locomoção. Além disso, a Unidade terá materiais permanentes e de consumo indispensáveis à rápida intervenção ao suporte básico da vida e medicamentos necessários principalmente para reversão de paradas cardiovasculares, que serão devidamente administrados conforme orientação médica via telemedicina.

Conforme explicou o diretor de enfermagem do Hospital Universitário (HU), Genivaldo Dias da Silva, uma das pessoas que está coordenando os trabalhos de implantação da Unidade no campus, o serviço será articulado com o Serviço Móvel de Urgência (SAMU), que será acionado para atendimentos de maior complexidade.

Além do atendimento primário e de estabilização, a ideia é iniciar um mapeamento epidemiológico da comunidade acadêmica, identificando agravos, trabalho que poderá ser feito em parceria com os cursos de nutrição, medicina, enfermagem, psicologia, entre outros, e com o próprio HU, cadastrados como projetos de extensão, por exemplo.

Com a conclusão das obras do Centro de Convivência, a Unidade de Suporte às Urgências ganhará o seu local definitivo. A administração pretende, a partir da implantação definitiva, aprimorar os serviços a partir do debate aberto e contínuo com a comunidade acadêmica e dentro do próprio Conselho Universitário (COUNI).

Em médio prazo, pretende-se criar, como proposto na audiência pública realizada entre a administração central, docentes, técnicos e estudantes sobre a implantação da Unidade no campus, um comitê pró implantação de uma Unidade de Saúde na região para atender não somente a comunidade acadêmica, mas também os trabalhadores da região, moradores de sitiocas, pessoas que transitam pelo aeroporto, dentre outros.

(*) Com informações de Assecom UFGD

A Unidade terá materiais permanentes e de consumo indispensáveis à rápida intervenção ao suporte básico da vida e medicamentos necessários principalmente para reversão de paradas cardiovasculares, que serão devidamente administrados conforme orientação médica via telemedicina (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários