Williams Araújo

Urgente

Se o MPE (Ministério Público Estadual) quiser realmente passar MS a limpo e acabar com toda sujeira jogada para debaixo do tapete, trabalho não vai faltar. Nepotismo, obras com suspeitas de superfaturamento, favorecimento a empresas entre tantos outros casos.

O órgão bem que poderia aproveitar a insatisfação do povo contra a corrupção no país e começar a jogar duro em solo sul-mato-grossense. Sem sua intervenção, a impunidade vai continuar a reinar solta e absoluta por aqui.

Ressonância

As manifestações ocorridas no domingo nas capitais e nas principais cidades do país devem acelerar as reformas políticas exigidas pelo povo. Com vários itens na pauta, mas emperrados nas comissões das duas Casas Legislativas, o Congresso Nacional deve se mexer com maior rapidez a partir de agora para dar uma resposta mais rápida e eficiente aos brasileiros.

No ‘olho do furacão’, o Poder Executivo também precisa se mexer, a começar pela redução de ministérios. Isso é só o começo.

Gasparzinhos

O MPE (Ministério Público Estadual) investiga agora denúncias sobre eventual contratação de funcionários fantasmas na prefeitura da Capital, na gestão anterior. Tudo porque, segundo denúncias, alguns servidores teriam recebido dinheiro público sem precisar bater o ponto diário na prefeitura.

Se realmente eles eram fantasmas, não poderiam mesmo ter aparecido por lá e de serem vistos a olho nu. Mas a lupa do MPE, certamente, vai detectar os tais e puni-los com rigor.

Pai da criança

Duas deputadas estaduais andam – dizem – de nariz torcido por causa de paternidade de propostas defendidas na Assembleia Legislativa. Ocorre que uma das duas novatas do Parlamento, segundo fontes palacianas, resolveu meter os pés pelas mãos e entrar na seara da colega, cujas ideias já são bem conhecidas da população.

Entre as propostas que estariam sendo – digamos assim – plagiadas — seria a regionalização da saúde. Um problema a mais para Reinaldo Azambuja (PSDB) dentro de sua base de apoio na Casa.

Mão amiga

Primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, Zé Teixeira (DEM) quer que a Prefeitura de Dourados administre o Distrito Industrial. A ideia é que o governador Reinaldo Azambuja elabore um projeto visando à doação da área à administração socialista de Murilo Zauith (PSB).

O democrata acredita que a doação propiciará mais desenvolvimento e o progresso de Dourados, com programas de incentivo e geração de empregos no município.

Comentários