16/03/2012 09h16 – Atualizado em 16/03/2012 09h16

Vacinação contra aftosa na fronteira será antecipada e começa no dia 2

Da Redação*

A vacinação contra febre aftosa em propriedades consideradas de risco na região de fronteira com o Paraguai em Mato Grosso do Sul será antecipada e deve começar no dia 2 de abril.

O procedimento ocorre em virtude dos últimos dois focos da doença registrados no País vizinho nos últimos seis meses, já que a vacinação no Estado geralmente é iniciada em maio.

Reunião entre técnicos regionais da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) na região de fronteira ocorre nesta tarde para discutir a estratégia de vacinação nas propriedades de risco como assentamentos e aldeias indígenas.

A vacinação nestas localidades ocorre por meio da Agulha Oficial, procedimento em que a vacina é doada e a aplicação realizada por técnicos da Iagro.

Segundo a diretora-presidente da Iagro, Maria Cristina Galvão Rosa Carrijo, o governo paraguaio também aplicará a vacinação do rebanho em abril, o que vai unificar as ações.

Carrijo revela que, na última reunião entre técnicos do Estado e autoridades sanitárias do Paraguai, foram apresentados resultados dos trabalhos implementados no País vizinho contra a doença.

“Eles têm sido incisivos e cumprido as exigências internacionais de sanidade animal, no entanto, não podemos baixar a guarda”, explicou.

A região de fronteira do Estado tem aproximadamente 800 mil cabeças de gado.

No segundo foco de aftosa registrado no Paraguai, em janeiro, foram abatidas mais de 150 cabeças de gado no departamento de San Pedro, localizado a cerca de 150 quilômetros da fronteira de Mato Grosso do Sul. No primeiro foco, em setembro, foram 820 animais abatidos.

A imprensa paraguaia acredita que, num prognóstico mais favorável, o País poderia recuperar seu status sanitário para exportação em um ano e meio.

(*) Com informações Campo Grande News

Comentários