10/06/2015 15h23 – Atualizado em 10/06/2015 15h23

O maior número de vacinações se concentra nos grupos dos trabalhadores da Saúde e idosos

Assessoria

A Campanha de Vacinação contra gripe para o grupo prioritário terá continuidade em Três Lagoas até atingir a meta mínima. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde, do Setor de Imunização. No ranking de maior número de vacinações, está em primeiro lugar os trabalhadores da Saúde com 70,76% e dos idosos 61,32%.

De acordo com a coordenadora do setor, Humberta Azambuja, a campanha continuará até a meta ser atingida. “Não encerraremos a campanha enquanto não atingirmos 80% em pelo menos um dos grupos prioritários. Só abriremos a vacina para a população quando atingirmos a meta de 80%”, esclareceu.
Desde o dia 5 de maio, o Setor de Imunização de Três Lagoas realiza a Campanha de Vacinação contra a Influenza. O objetivo é vacinar 22.030 pessoas no Município dentro do público alvo, sendo 80% do total que fazem parte do grupo prioritário na Cidade. Deste total, 12.883 (58,48%) já foram imunizadas.

De acordo com a estratégia de vacinação, das 7.557 crianças para serem vacinadas, 4.135 receberam a vacinação, sendo 54,72%. Das 1.463 gestantes 582 (39,78%) receberam a dose. Das 241 puérperas, 110 (45,64) foram imunizadas. Dos 2.363 trabalhadores da Saúde, 1.672 (70,76%) receberam a dose. E dos 10.406 idosos, 6.381 (61,32%) já receberam a vacina.

A vacina é destinada principalmente aos idosos de 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, crianças de seis meses e menores de cinco anos de idade, gestantes, puérperas e pessoas com doenças crônicas.

O cartão de vacinação deve ser levado no ato da imunização, assim como, a prescrição médica caso a pessoa possua alguma doença crônica. Vale ressaltar que os pacientes que já fazem parte de programas de controle das doenças crônicas do SUS, devem se dirigir aos postos em que estão cadastrados para receber a vacina.

(*) Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Três Lagoas

 A vacina é destinada principalmente aos idosos de 60 anos ou mais. (Foto: Assessoria)

Comentários