16/04/2015 09h25 – Atualizado em 16/04/2015 09h25

O veículo foi checado e os policiais descobriram que estava com elementos de identificação todos adulterados, com característica de clonado

Léo Lima com PRF

Uma van Fiat Ducato Cargo, com emplacamento feito em Minas Gerais, foi retida pela equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Água Clara, com suspeita de ter sido furtada naquele estado e com característica de veículo clonado. O motorista, que seria um estudante de 49 anos, por conta disso, foi também detido.

O fato ocorreu por volta das 23h30 de terça-feira (14) passada, no quilômetro 143 da BR-262, em Água Clara. Segundo a PRF, foi dada ordem de parada ao veículo, com placas aparentes OQS-7819, Belo Horizonte/MG, conduzido por C. O. Q..

Após receber a CNH do condutor e o documento do veículo, os policiais verificaram que a van possuía características de veículo clonado. A equipe procedeu à verificação nos elementos de identificação veiculares e constatou que todos estavam adulterados. A van era dublê, mas não foi possível levantar o veículo verdadeiro devido à todas as adulterações que foram realizadas nela.

A Perícia Técnica da Polícia Civil realizará uma análise mais aprofundada da van e emitirá um laudo constando os dados do veículo verdadeiro que provavelmente terá ocorrência de roubo ou furto.

VERSÃO

Questionado sobre a procedência do veículo, o condutor respondeu que comprou a Fiat/Ducato Cargo na Feira da Toshiba em Contagem/MG juntamente com o seu primo por R$45.000,00 (o valor de tabela do veículo é R$65.300,00 ) há 15 dias, que não estava com o recibo de compra e venda do veículo.

O suspeito disse que estava vindo de Campo Grande e indo para Belo Horizonte/MG para fazer a mudança da sua companheira e que desconhecia o fato do veículo ser produto de crime.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil local. O condutor foi preso em flagrante pela prática, em tese, dos crimes de receptação e adulteração dos sinais identificadores veiculares cuja pena prevista para os crimes pode chegar a 10 anos de reclusão.

A van foi apreendida e na checagem os agentes da PRF descobriram que os sinais identificadores estavam adulterados (Foto: Divulgação/PRF)

Após a primeira checagem na van, o veículo foi encaminhado para a Delegacia de Polícia de Água Clara (Foto: Divulgação/PRF)

Comentários