04/04/2018 16h12

Matéria sobre a venda da UFN3 alegra moradores de Três Lagoas: Petrobras não se pronuncia, contradizendo as informações repassadas pelo senador Pedro Chaves

Ricardo Ojeda

A matéria publicada na edição desta quarta-feira no jornal Correio do Estado, enfatizando a compra da fábrica de Fertilizantes Nitrogenados – UFN3 pela empresa russa Acron, foi replicada nos principais órgãos de comunicação de Três Lagoas ganhou grande repercussão na cidade.

A matéria, com chamada de capa explica que foi o senador Pedro Chaves (PRB), que repassou as informações ao jornalista do Correio do Estado.

No texto, informa que o conglomerado russo Acron foi o vencedor da licitação, ganhando a disputa das outras seis concorrentes no certame organizado pela Petrobras. De acordo com a matéria, o grupo estrangeiro se comprometia a pagar os R$ 38 milhões em dívidas com os 178 fornecedores e que investiria R$ 2 bilhões, após a retomada das obras que iniciaria em um prazo de 60 dias.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Embasado nessas informações, o PerfIl News também publicou a matéria, citando como fonte o senador Pedro Chaves e o Correio do Estado. No entanto, para fortalecer ainda mais a informações, a reportagem do Perfil News passou a manhã inteira tentando contatos com a assessoria de Imprensa da Petrobras, que no primeiro momento retornou a ligação informando que um e-mail já havia sido enviado com a resposta.

No entanto esse e-mail não chegou e novamente foi feito outro contato por telefone à assessoria, e desta vez quem atendeu foi uma pessoa que se identificou por Paulo, que retornaria com as informações em breve. Decorridos algumas horas, nova ligação é feita à assessoria da Petrobras, que se posicionou que a empresa, “no momento a Petrobras não irá se pronunciar sobre este assunto.”

A reportagem ligou em gabinete do senador Pedro Chaves, em Brasília e foi informada pela assessora que o político irá participar de uma reunião com os diretores da Petrobras na noite desta quarta-feira, e só no dia posterior seria transmitido novas informações sobre esse assunto.

NOTA DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL

A presidente da ACITL – Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, Glaucia Puzziello Jarouche, divulgou nota no site da entidade: Caros associados e amigos. Hoje fomos bombardeados de pedidos de informações a respeito da última matéria publicada na mídia sul-mato-grossense sobre a venda da UFN3 para grupo russo e que assumirá dívidas de R$ 38 milhões com fornecedores e empregados, também tendo como fonte o Senador Pedro chaves.

No intuito de esclarecer, verificamos que trata-se de questões políticas sem qualquer embasamento fático, que está antecipando informações ainda não consolidadas. Essa informação para ser conclusiva deve estar publicada junto ao portal oficial da Petrobras S/A e também publicada em diário oficial, portanto ainda que possa ser verdade, não está sancionada pela estatal.

Voltamos a afirmar, um vazamento de tal informação pode levar todo o processo de licitação ao desinvestimento e a anulação por qualquer um dos interessados participantes. Estamos acompanhando diariamente esperando a publicação oficial.

EMPRESÁRIOS CALOTEADOS

Na terça-feira da semana passada, 27 de março um grupo de empresários que tem créditos a receber no valor de R$ 38 milhões da Petrobras estiveram no plenário da Câmara de Vereadores pedindo apoio dos parlamentares para que condicionassem à votação uma garantia que a UFN3 só fosse vendida com a garantia do pagamento aos empresários.

Na oportunidade a comitiva era liderada pela presidente da Associação Comercial de Três Lagoas, porém quem subiu à tribuna para falar em nome da classe foi o empresário Charly Kipgen.


Diretores da empresa Russa Acron já estiveram em Três Lagoas, onde se reuniram com o prefeito Angelo Guerreiro e depois foram à capital do Estado falar com o secretário, Jaime Verruck, titular da pasta de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Foto: Assessoria)

Na terça-feira da semana passada uma comissão de empresários que foram caloteados pelo Consórcio UFN 3 estiveram na Câmara de Vereadores quando foi votada a prorrogação do prazo para a conclusão da obra da fábrica de fertilizantes (Foto: Ricardo Ojeda)


Comentários