24/04/2013 15h34 – Atualizado em 24/04/2013 15h34

Vereadores participam de Audiência Pública sobre a situação da educação em Três Lagoas

A audiência vem também trabalhar assuntos da 14ª Semana Nacional da Defesa e Promoção da Educação Pública

Da Redação

Uma audiência pública foi realizada pelos professores da rede municipal e estadual de ensino nesta quarta-feira (24), organizada pelo Sinted – Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Três Lagoas e Selvíria. O evento aproximou a classe para discutir ações e debater o tema violência contra os trabalhadores da educação. A audiência vem também trabalhar assuntos da 14ª Semana Nacional da Defesa e Promoção da Educação Pública.

Participaram os vereadores: Nilo Candido, Gilmar Garcia, Adão da Apae, Sirlene da Saúde, Idevaldo Claudino, Beto Araujo, Apóstolo Ivanildo, Marisa Rocha, e também chefes de gabinete e assessores dos vereadores Gil do Jupiá, Marcus Bazé e Vera Helena. Autoridades da Secretaria Municipal de Educação, Ministério Público, Conselho Tutelar, Comandantes do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, Secretaria de Assistência Social, diretores, e também a promotora da Infância e Juventude participaram.

Um dos assuntos abordados foi à atuação do professor na sala de aula e a agressão verbal e física. Para a presidenta do Sinted, Maria Aparecida Diogo, “hoje a categoria entendeu o nosso objetivo e veio fazer esse debate. Desde 2007 estou no Sinted e vejo constantemente professores nos procurando devido às agressões físicas e verbais. Precisamos estar procurando o judiciário, sempre com boletim de ocorrência. Uma pesquisa estadual detectou que 76% dos professores dizem que na escola que eles trabalham, são frequentes as ocorrências de agressões”, disse.

Para o vereador Nilo Candido, que é presidente da Comissão de Educação, Meio-ambiente, Cultura, Desporto e Turismo, a valorização dos profissionais da educação tem que partir desde o porteiro da escola, até o professor. “Hoje a escola está se tornando assustadora. Para o professor é muito complicado. Temos que discutir esse tema com muito carinho para acharmos uma solução para esse caso. Todos os professores estão pedindo socorro. A educação é um investimento”, concluiu.

Em Três Lagoas, 100% das escolas municipais e estaduais aderiram à paralisação, o que vem a contribuir para a realização da Audiência Pública. Para o major Leandro Arruda, do quinto grupamento do Corpo de Bombeiros,o Major do Segundo Batalhão da Polícia Militar, Élcio Almeida, e a promotora da Infância e Juventude, Ana Cristina Dias e demais autoridades, a educação tem que ser tratada com mais carinho e deve iniciar em casa.

A promotora da Infância e Juventude de Três Lagoas, Ana Cristina Dias, diz que “as famílias estão desestruturadas. O pai e a mãe dão roupa de marca para o filho e acabam não dando a devida educação. É mais fácil ceder”, conclui.

O vereador Gilmar Garcia, também apoia a causa. Na ocasião disse que a Câmara está aprovando e irá ajudar os professores. “Temos várias propostas e vamos debater com os professores. Iremos elaborar um projeto de lei e colocar os deveres que estão escondidos”, finaliza.

Já para a vereadora Marisa Rocha “o pai deve assumir mais o seu papel e não é dever da escola educar os alunos. Os pais devem dar exemplo”, finaliza.

Idevaldo Claudino, Apóstolo Ivanildo e Sirlene da Saúde disseram apoiar a causa e que a classe possa se unir e pedir aquilo que é de direito.

(*) Com informações de Assecom Câmara Municipal de Três Lagoas

Participaram Nilo Candido, Gilmar Garcia, Adão da Apae, Sirlene da Saúde, Idevaldo Claudino, Beto Araujo, Apóstolo Ivanildo, Marisa Rocha (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários