05/04/2017 11h42

Início da segunda linha de produção da Eldorado Brasil fica para 2018

Com lançamento da Pedra Fundamental em junho de 2015, nova fábrica entrará em operação em 2020

 
Ricardo Ojeda e Patrícia Miranda
 
No dia 15 de junho de 2015 foi lançado oficialmente a Pedra Fundamental do Projeto Vanguarda 2.0, com orçamento de R$ 8 bilhões. A imagem registra os maquinários posicionados para dar inicia ao empreendimento (Foto: Ricardo Ojeda) No dia 15 de junho de 2015 foi lançado oficialmente a Pedra Fundamental do Projeto Vanguarda 2.0, com orçamento de R$ 8 bilhões. A imagem registra os maquinários posicionados para dar inicia ao empreendimento (Foto: Ricardo Ojeda)
 
No dia 22 do mês passado o diretor Industrial da Eldorado Brasil recebeu a reportagem do Perfil News, falando com exclusividade sobre o cronograma de expansão (Foto: Lucas Gustavo) No dia 22 do mês passado o diretor Industrial da Eldorado Brasil recebeu a reportagem do Perfil News, falando com exclusividade sobre o cronograma de expansão (Foto: Lucas Gustavo)


A tão esperada obra da segunda linha de produção da Eldorado Brasil prevista para acontecer no início do segundo semestre deste ano foi postergada para iniciar em 2018. O investimento com orçamento na ordem de R$ 8 bilhões seria um alento para a economia do município.

Entretanto, até agora foram feitas obras de terraplanagem e de infraestrutura básica, como a drenagem, água pluvial e esgoto. Ou seja, a base para receber a estrutura da fábrica já está concluída.

EXCLUSIVIDADE

No dia 22 do mês passado, o diretor industrial da Eldorado Brasil, Carlos Roberto Monteiro, falou com exclusividade ao Perfil News que o projeto da construção da 2ª linha da fábrica de celulose da Eldorado Brasil, batizada de Vanguarda 2.0 foi adiada para 2018.

O empreendimento que teve a Pedra Fundamental lançadaem 15 de junho de 2015 estava previsto para ser inaugurado no final de 2018 ou começo de 2019, como disse o presidente da Eldorado Brasil Celulose, José Carlos Grubisich, em maio do ano passado.

Na entrevista ao **Perfil News*, Monteiro disse que o Conselho da Empresa está avaliando qual é o melhor momento para prosseguir com o projeto. Ele adiantou que poderá acontecer no 2º semestre de 2018, mas tudo dependerá de uma série de fatores. "O projeto básico está completamente concluído e estamos esperando uma oportunidade para dar sequência no Vanguarda", disse Monteiro.

 
A foto oficial com autoridade e diretores da Eldorado Brasil durante a solenidade de lançamento da Pedra Fundamental ocorrida em 15 de junho de 2015 (Foto: Ricardo Ojeda/Arquivo) A foto oficial com autoridade e diretores da Eldorado Brasil durante a solenidade de lançamento da Pedra Fundamental ocorrida em 15 de junho de 2015 (Foto: Ricardo Ojeda/Arquivo)
DEMANDA MUNDIAL

A certeza que a segunda linha será edificada é o consumo do produto em escala mundial. Ele foi enfático ao dizer que a cada ano há crescimento no consumo de cerca de 1,6 milhão de toneladas de celulose no mundo, o que justifica a entrada de outras plantas pelo globo para atender a demanda do mercado.

Questionado sobre qual seria o melhor momento dar o start à obra, ele frisou que o país passa por uma situação economicamente difícil e que só agora começa a mostrar um direcionamento. A partir daí é que os investidores voltam a ter confiança para investir no Brasil. Porém, adiantou ele, o processo não está parado, mas sim, dando sequência ao projeto que foi lançado em junho de 2010, explicou.

"Se fizermos uma retrospectiva iremos lembrar quando a Eldorado falou em fazer a primeira fábrica, a incredibilidade era enorme. Não tinha madeira, o pessoal não era do setor". Enfim, uma porção de coisas que saía na mídia e aí vemos o potencial que a empresa tem de primeiro mundo e resultados no mesmo nível. "Hoje há gente que fala as mesmas coisas, que não tem condições, que o projeto vai demorar. Não estamos tão defasados, assim como o pessoal acha. Qualquer projeto grande dessa natureza pode sofrer algum atraso", explicou Monteiro, em relação aos comentários relacionados à segunda planta da Eldorado Brasil.

 

Monteiro disse que a atual planta da fábrica mencionava a produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose, porém devido a eficiência diferenciada em cada setor atingiu a produção de 1,7 milhões anuais (Foto: Patrícia Miranda)
Monteiro disse que a atual planta da fábrica mencionava a produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose, porém devido a eficiência diferenciada em cada setor atingiu a produção de 1,7 milhões anuais (Foto: Patrícia Miranda)

"Hoje há gente que fala as mesmas coisas, que não tem condições, que o projeto vai demorar. Não estamos tão defasados, assim como o pessoal acha. Qualquer projeto grande dessa natureza pode sofrer algum atraso"

— Carlos Monteiro - Diretor Industrial

EFICIÊNCIA DIFERENCIADA

O Vanguarda 2.0 será responsável pela produção de 2,5 milhões de toneladas anuais a mais. O projeto da primeira fábrica mencionava 1,5 milhões de toneladas. Porém estamos produzindo 1,7 milhões de toneladas. "Para chegar a esse volume de produção nós não tivemos novos investimentos, apenas uma eficiência diferenciada no setor", exemplificou Monteiro.

Ele explicou ainda que o desempenho da planta e a gestão aplicada na fábrica supera as expectativas. Quando estiver em operação com as duas linhas o complexo terá capacidade para produzir 4,2 milhões de toneladas por ano.

POSICIONAMENTO DO PREFEITO

O prefeito Angelo Guerreiro informado pela reportagem sobre o adiamento do cronograma da segunda linha da Eldorado Brasil disse estar preocupado. "A medida vai impactar o orçamento de 2018 da prefeitura, esperávamos com muita expectativa o início desse grande empreendimento, que infelizmente não ocorrerá este ano. Porém, independente disso, tenho pedido aos nossos secretários que se atentem para a contenção de gastos", reiterou.

CONHEÇA O PROJETO VANGUARDA 2.0 ASSISTINDO O VÍDEO ABAIXO

 

Envie seu Comentário