23.4 C
Três Lagoas
quinta-feira, 13 de junho de 2024

Arauco recebe licença do Governo nesta sexta-feira e já está ‘liberada’ para começar obras de fábrica

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), Jaime Verruck, disse que a chilena Arauco recebe a licença para já começar as obras da fábrica de celulose em Inocência. O empreendimento será feito pelo grupo chileno e prevê investir R$ 28 bilhões e empregar 12 mil pessoas na fase de obra.

Em janeiro deste ano, em reunião extraordinária realizada por meio virtual, os membros do CECA (Conselho Estadual de Controle Ambiental) aprovaram por unanimidade o parecer que recomendou a emissão da Licença Prévia do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), para implantar a fábrica de papel e celulose e também uma termoelétrica no município de Inocência.

LICENÇA DEFINITIVA

Agora, a partir de sexta-feira, a fábrica chilena já terá a licença definitiva para começar a colocar a ‘mão na massa’ rumo ao progresso. O empreendimento promete atrair milhares de trabalhadores e empresários de todos os lugares do mundo.

A primeira fase do projeto deve entrar em operação em 2028 e a segunda fase em 2032. Cada linha tem capacidade de produzir 2,5 milhões de toneladas de celulose ao ano, funcionando de forma ininterrupta, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Arauco recebe licença do Governo nesta sexta-feira e já está 'liberada' para começar obras de fábrica

Quando entrar em atividade a fábrica deve gerar 1.070 empregos diretos e indiretos. O empreendimento provocará uma elevação significativa no PIB (Produto Interno Bruto) do Estado e de Inocência, além de impactar positivamente na arrecadação de impostos e geração de renda.

“Estamos tendo a oportunidade de receber outro grande empreendimento, a exemplo da fábrica da Suzano em Ribas do Rio Pardo. Tomamos todos os cuidados, tanto do ponto de vista ambiental, quanto de infraestrutura urbana para suportar esse crescimento repentino que terá Inocência”, disse Verruck.

PROGRESSO NA LOGÍSTICA

Importante rodovia de integração das regiões norte e Bolsão, que funciona como eixo para o escoamento da produção, a MS-316 será pavimentada no trecho entre Chapadão do Sul e Inocência. O Governo de Mato Grosso do Sul publicou no Diário Oficial desta quinta-feira (9) o contrato para a elaboração do projeto executivo de engenharia para implantação e pavimentação.

Arauco recebe licença do Governo nesta sexta-feira e já está 'liberada' para começar obras de fábrica

Realizada através da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), vinculada à Seilog (Secretaria de Infraestrutura e Logística), as obras já contam também com os itens de artes especiais no lote 2 da rodovia MS-316, que possui extensão de 39,5 quilômetros. O investimento previsto para esse projeto é de R$ 1.397.919,68.

Dividida em três lotes, para dar mais celeridade aos trabalhos, o projeto prevê a pavimentação desde o entroncamento da MS-320 em Chapadão do Sul até Inocência, passando por Morangas.

Ao todo são 110,3 km de rodovias para ligar os dois municípios e impulsionar o desenvolvimento da região, que tem forte atuação na produção agrícola e pecuária e de lavouras de soja, milho, cana-de-açúcar e plantação de eucalipto. Além disso, a estrada será fundamental para o escoamento da produção e para a entrada de insumos na região.

O Governo do Estado tem ampliado a pavimentação das rodovias para ligar regiões, facilitar escoamento da produção e atrair novos investimentos para Mato Grosso do Sul. A MS-316 é um bom exemplo desse compromisso estadual com a região.

Os estudos, em andamento na Agesul, compreendem 32,7 km do lote 1, no valor de mais de R$ 884 mil; 39,5 km do lote 2 com investimentos superior a R$ 1,645 milhão e no lote 3, que tem cerca de R$ 1,462 milhão para o estudo da pavimentação são 38,1 km de extensão. No total o Governo do Estado está investindo R$ 3,9 milhões para o projeto de pavimentação do trajeto todo, de Chapadão a Inocência.

Leia também

Últimas

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.