20.8 C
Três Lagoas
sexta-feira, 24 de maio de 2024

Suzano comemora 100 anos e inaugura fábrica de Ribas do Rio Pardo no próximo mês

Suzano, maior produtora mundial de celulose e referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir de árvores plantadas de eucalipto, divulgou o balanço referente ao primeiro trimestre deste ano. O principal destaque do período é o avanço do Projeto Cerrado, o maior investimento da história da companhia, que completa 100 anos em 2024.

Em construção no município de Ribas do Rio Pardo, a unidade atingiu 94% do progresso físico e entrará em operação dentro das próximas semanas. Ela será a maior linha única de produção de celulose do mundo.

Com investimento total previsto de R$ 22,2 bilhões, dos quais R$ 19,1 bilhões desembolsados até o final de abril, a nova unidade terá capacidade para produzir anualmente 2,55 milhões de toneladas de celulose, insumo utilizado na fabricação de papéis sanitários, produtos absorventes, papéis para imprimir e escrever e de embalagens, entre outros itens.

Diante da curva de investimentos com a construção da fábrica e dos preços mais baixos da celulose em trimestres recentes, a alavancagem da Suzano em dólar encerrou o primeiro trimestre em 3,5 vezes, com uma relação entre EBITDA ajustado e dívida líquida dentro dos limites estabelecidos na política da empresa.

“Estamos cada vez mais perto de celebrar mais uma conquista em nossos 100 anos de história: o início da operação da nossa nova unidade Ribas do Rio Pardo. O avanço da implantação dessa fábrica marcou o primeiro trimestre de 2024, mas tivemos mais resultados importantes alcançados pelos nossos mais de 49 mil colaboradores”, diz uma nota da empresa.

Os resultados do primeiro trimestre de 2024 também refletem a tendência de recuperação dos preços internacionais da celulose e de estabilidade nos custos de produção, na comparação com o trimestre anterior, além da sazonalidade de vendas do setor.

O EBITDA ajustado da Suzano totalizou R$ 4,6 bilhões, enquanto a geração de caixa operacional somou R$ 2,5 bilhões. A receita líquida do trimestre atingiu R$ 9,5 bilhões. Na última linha do balanço, a empresa registrou resultado líquido positivo de R$ 220 milhões. Já a dívida líquida encerrou o período em US$ 11,9 bilhões, já com os desembolsos da Suzano com a distribuição de juros sobre capital próprio (JCP) e a recompra de ações realizadas no trimestre.

O custo caixa de produção de celulose da Suzano, sem paradas, fechou o trimestre em R$ 812 por tonelada. A comercialização de celulose movimentou 2,4 milhões de toneladas, enquanto as vendas de papéis somaram 313 mil toneladas.

Sobre a Suzano

A Suzano é a maior produtora mundial de celulose, uma das maiores produtoras de papéis da América Latina, líder no segmento de papel higiênico no Brasil e referência no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras a partir de matéria-prima de fonte renovável.

Os produtos e soluções da empresa estão presentes na vida de mais de 2 bilhões de pessoas, abastecem mais de 100 países e incluem celulose, papéis para imprimir e escrever, papéis para embalagens, copos e canudos, papéis sanitários e produtos absorventes, além de novos bioprodutos desenvolvidos para atender a demanda global.

A inovação e a sustentabilidade orientam o propósito de “Renovar a vida a partir da árvore” de trabalho no enfrentamento dos desafios da sociedade e do planeta. Com 100 anos de história, a Suzano tem ações nas bolsas do Brasil (SUZB3) e dos Estados Unidos (SUZ).

Leia também

Últimas

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.