23.4 C
Três Lagoas
quinta-feira, 13 de junho de 2024

Peregrino de MS que carrega santa de 25 kg nas costas chega a Santuário de Aparecida do Norte

Após dois meses de ‘viagem’ a pé, o sul-mato-grossense chegou ao destino depois de andar mais de 1000 km

Chegou ao fim, a peregrinação de Ivanor Tobias da Cruz, de 56 anos, que saiu de Campo Grande com destino ao Santuário de Aparecida do Norte. Após caminhar mais de 1000 km enfrentando chuva e sol, o sul-mato-grossense cumpriu sua promessa, inclusive, quebrando recordes nacionais.

Peregrino de MS que carrega santa de 25 kg nas costas chega a Santuário de Aparecida do Norte

Ivanor chegou ao destino por volta das 13h desta quinta-feira (23), após 59 dias de caminhada, a qual é carregando uma santa que pesa 25 kg nas costas. O devoto saiu de Campo Grande no dia 25 de março.

O peregrino foi recebido com festa em Aparecida do Norte. Acompanhado da esposa, netos e outros familiares, parte dos grupos que auxiliaram o devoto pelas estradas também estavam presentes no encontro.

CAMINHO DA FÉ

No total, Ivanor caminhou 1.350 quilômetros, sendo 1000 km sozinho e os últimos 350 km, o devoto foi acompanhado por um grupo e fizeram o percurso denominado ‘Caminho da Fé’. O último trajeto foi feito em dez dias.

O ‘Caminho da Fé’ é uma trilha de peregrinação com aproximadamente 400 quilômetros de extensão, inaugurada no ano de 2003, que vai de Tambaú, no interior de São Paulo, até Aparecida do Norte, no Vale do Paraíba/SP, atravessando a Serra da Mantiqueira, pelo sul de Minas Gerais.

O Caminho passa por 19 municípios e 4 distritos, através de estradas vicinais de terra, trilhas, bosques, pastagens e asfalto, e foi criado para dar estrutura e suporte às pessoas que sempre fizeram peregrinação ao Santuário Nacional de Aparecida, oferecendo-lhes os imprescindíveis pontos de apoio. São necessários aproximadamente 16 dias, fazendo uma média de 25 quilômetros por dia, para percorrer todo o caminho.

Em seu caminhar, seguindo sempre as setas amarelas, o peregrino vai reforçando sua fé, observando a natureza privilegiada, superando as dificuldades do caminho que é a síntese da própria vida. Aprende que o pouco que necessita cabe na mochila, e vai despojando-se do supérfluo.

Hoje, ao chegar no santuário, Ivanor entrou na basílica, foi até o altar onde estava a imagem de Nossa Senhora Aparecida e fez uma oração, conseguindo assim, pagar a sua promessa que tanto desejava. Ainda nesta quinta-feira, ele será recebido pelos bispos. Conforme o padre João Maria, ele foi o peregrino brasileiro que mais caminhou na história.

Para pagar uma promessa, Ivanor carrega com ele uma imagem de Nossa Senhora Aparecida que pesa 25 kg. Por sorte, ele encontrou boas pessoas pelo caminho, que deram alimento, abrigo e até estadia rápida para se acomodar e tomar um banho, por exemplo.

Por onde o fiel passou, despertou a atenção de pessoas e até formaram um grupo de WhatsApp para ajudá-lo prestando assistência. Mídias de todos os municípios que o peregrino passou queriam entrevistá-lo. Ivanor ficou conhecido por sua fé e garra em alcançar seus objetivos.

Devoto de Nossa Senhora Aparecida desde criança, foram muitas bênçãos alcançadas e uma graça a qual “levará no túmulo”, porém, não conta a ninguém. No entanto, o que não é segredo é a peregrinação feita de Campo Grande com destino ao Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo.

A promessa foi feita há 20 anos e o devoto começou a pagar no dia 25 de março, deixando a família chorando e a certeza de que chegou a hora de cumprir. Afinal, não é fácil deixar o conforto de casa, porém, é necessário não só levar a promessa dele como centenas de pedidos que carrega consigo.

MILAGRE AO PASSAR POR TRÊS LAGOAS

O devoto nem chegou ao destino e já foi agraciado com um milagre. A esposa de Ivanor, Patricia Souza da Cruz, de 44 anos, disse que o marido precisava de medicamentos para diabete e pressão alta e em um passe de mágicas ele foi curado.

Peregrino de MS que carrega santa de 25 kg nas costas chega a Santuário de Aparecida do Norte

“É uma receita que ele carregava sempre e eu nem acreditei quando me disse para ir buscar os remédios, que não precisava mais, que o médico disse que estava tudo ok e ele não tinha mais diabetes e pressão alta. E no meu caso, que vi ele bem mal em casa, desde a época da pandemia tomando um monte de remédio, um milagre aconteceu”.

A esposa de Ivanor contou que o marido foi diagnosticado com as doenças no início da pandemia e, desde que ele insistiu em fazer a caminhada de 1,3 mil km e cumprir a segunda parte da promessa, a preocupação da família sempre foi uma só: como ele ficaria sem tomar os remédios de forma regrada.

No entanto, após caminhar 14 dias ininterruptos e chegar em Três Lagoas, na região leste do Estado, Ivanor entrou em contato com a esposa, dizendo que tinha passado por atendimento médico e não tomaria mais os remédios.

Leia também

Últimas

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.