29/09/2015 10h35 – Atualizado em 29/09/2015 10h35

O consumo de narguilé, ainda de acordo com o ministério, contribui para o surgimento de câncer do pulmão, de boca, esôfago, bexiga e doenças respiratórias.

Assessoria

A exemplo de uma lei municipal de autoria do vereador Welton Irmão, já vigorando em Três Lagoas desde abril, agora o estado de Mato Grosso do Sul inteiro proibiu a venda de narguilé e produtos que possibilitam o seu uso para menores de idade. A iniciativa estadual foi do deputado José Carlos Barbosa, o Barbosinha. Após aprovação na Assembleia Legislativa, o governador Reinado Azambuja sancionou a lei, publicada no Diário Oficial de MS, dia 24 de setembro.

Welton Irmão se revelou feliz porque o assunto ganhou proporções maiores. Além de Três Lagoas, Ponta Porã também proibia a venda a menores. Agora, os 79 municípios deverão cumprir a lei.

No entanto, ele lembrou que lei municipal de Três Lagoas vai além, proibindo ainda o uso do cachimbo egípcio em locais públicos. “Mas é uma grande conquista, nosso Estado já deu um grande passo para proteger os jovens e adolescentes, reduzindo os riscos deles se envolverem com o uso deste dispositivo, que é tão prejudicial à saúde”, destacou Welton

Para se ter uma ideia do risco que o uso de narguilé traz à saúde, no último dia 3 de setembro, o Ministério da Saúde apresentou dados da Pesquisa Nacional de Saúde de 2013 (PNS), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontou que 212 mil pessoa, no Brasil, já têm hábito de fumar narguilé, sendo que Mato Grosso do Sul liderava o ranking nacional de usuários, naquele ano.

Na apresentação dos resultados da pesquisa, o Ministério da Saúde alertou que, além de incluir as 4,7 mil substâncias tóxicas também presentes no cigarro comum, o fumo do narguilé possui concentrações superiores de nicotina, monóxido de carbono, metais pesados e substâncias cancerígenas. O consumo de narguilé, ainda de acordo com o ministério, contribui para o surgimento de câncer do pulmão, de boca, esôfago, bexiga e doenças respiratórias.

(*) Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal

Welton Irmão se revelou feliz porque o assunto ganhou proporções maiores.  (Foto: Divulgação)

Além de Três Lagoas, Ponta Porã também proibia a venda a menores. Agora, os 79 municípios deverão cumprir a lei. (Foto: Divulgação)

Comentários