15/11/2006 15h32 – Atualizado em 15/11/2006 15h32

Folha Online

Os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e do Galeão, no Rio, eram os que somavam mais atrasos em vôos, no começo da tarde desta quarta-feira, feriado da Proclamação da República. Este é o quinto dia da segunda série de problemas enfrentada pelo setor em um mês. Desta vez, nem o aquartelamento dos 149 controladores de tráfego aéreo do Cindacta 1, em Brasília (DF), o maior do país, conseguiu evitar o transtorno.O confinamento dos profissionais do Cindacta 1 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo) foi determinado terça-feira (14) pelo Comando da Aeronáutica, a exemplo do que havia ocorrido no último dia 1º, antes do feriado de Finados. Naquela ocasião, o tráfego aéreo brasileiro chegou a entrar em colapso.Os problemas na escala do Cindacta 1 são agravados pela ausência de diversos controladores, afastados por problemas de saúde desde o último dia 29 de setembro, quando um Boeing da Gol caiu em Mato Grosso e matou 154 pessoas.O aquartelamento, agora, não tem prazo para terminar. Controladores ouvidos pela Folha Online sob condição de anonimato na terça-feira afirmaram temer que a sobrecarga de trabalho coloque em risco a segurança do tráfego aéreo.AtrasosDe acordo com as informações divulgadas pela Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária) pela internet, às 12h30, o aeroporto de Congonhas tinha 12 pousos com cerca de uma hora de atraso. Em ao menos três casos o tempo de espera foi de duas horas; e outro, um vôo da Pantanal oriundo de Araçatuba (SP), não tinha previsão. Entre as decolagens, os atrasos não superavam 30 minutos, mas atingiam oito aeronaves.No aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos (Grande São Paulo), havia sete pousos e cinco descolagens atrasados em até uma hora.No Rio, o aeroporto do Galeão registrava atrasos de uma hora a uma hora e meia em nove pousos. Outros dois, programados para ocorrer entre as 10h e as 12h30, foram cancelados. Entre as decolagens, havia nove atrasos –cuja duração variava de meia hora a quase duas horas– e outro um cancelamento.No aeroporto Santos-Dumont, também no Rio, havia atrasos em dois pousos e em duas decolagens. Os quatro eram oriundos do aeroporto de Congonhas.No aeroporto de Brasília (DF), ainda às 12h30, havia oito pousos atrasados e um cancelado. Havia ainda cinco decolagens atrasadas. Nos dois casos, a espera era de até uma hora.No aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais (Grande Curitiba), havia três pousos atrasados, sendo um oriundo de Congonhas e dois do Galeão. Entre as decolagens, mais três atrasos, sendo um avião da TAM com destino a Congonhas.Outro ladoEm nota divulgada terça, o Comando da Aeronáutica afirmou que a convocação dos controladores pretende normalizar as escalas de serviço no Cindacta 1.O plano é “um procedimento administrativo previsto na legislação e tem o objetivo de reunir, no menor tempo, todo o efetivo de uma unidade a fim de atender a possíveis situações especiais ou emergenciais”, segundo a Aeronáutica.Durante o período em que o esquema vigorar –ainda não confirmado-, os controladores do Cindacta 1 deverão permanecer na organização, “de maneira a atender às necessidades operacionais de serviço”, diz a nota. O Comando afirma que serão cumpridos os horários de descanso e a jornada de trabalho.

Comentários