04/07/2017 09h35

Da Redação

A três dias da cúpula de chefes de Estado e de governo do G20 (grupo das 20 maiores economias do planeta), os serviços secretos internos germânicos alertaram que países que participarão do encontro, como Rússia, China, Irã e Turquia, realizaram uma crescente atividade de espionagem na Alemanha. A informação é da Agência Télam.

“A Federação Russa, a República Popular da China e a República Islâmica do Irã são os principais atores que desenvolveram atividades de espionagem contra a Alemanha”, destacaram os serviços secretos em relatório apresentado hoje (4), ao qual a agência de notícias alemã DPA teve acesso em primeira mão.

O relatório também menciona a Turquia, país que, segundo os serviços secretos alemães, tem intensificado a espionagem na região de Berlim onde ficam órgãos públicos, como o Parlamento e a Chancelaria Federal, órgão supremo que apoia a chanceler Angela Merkel na cooperação entre ministérios e diálogo com o Parlamento, as províncias e grupos sociais.

A Rússia e a China aparecem no documento de 300 páginas como os Estados que mais cometeram ataques cibernéticos contra a Alemanha. O ministro do Interior alemão, thomas de Maizière, admitiu que o governo prevê que os hackers russos tenten influenciar nas eleições gerais do país, que serão realizadas em 24 de setembro.

(*) Agência Brasil

Comentários